Testemunho JMJ2013

September 14, 2015

 

     Fica difícil saber por onde começar a testemunhar, pois a alegria de partilhar a experiência da JMJ é imensa. Há alguns meses atrás pedia ao Senhor nas orações a graça de experimentar o primeiro amor. À medida que o tempo vai passando, corremos o risco de “acostumar-nos” com Deus e levar uma vida de oração mais “light”.

     Quando ouvia relatos de irmãos que já participaram da JMJ até pensava por algum momento que era um exagero. Para minha surpresa, mesmo diante das dificuldades vividas na Jornada, pude perceber que posso ir além do que imagino, com a graça de Deus, e lá vivi de novo esse primeiro amor de Deus por mim.

     Quando chegamos à Paróquia São Sebastião, no Rio de Janeiro, meu desejo era ficar no mesmo alojamento que a Luciana (da minha Comunidade). Mas, esta não foi a vontade de Deus. Mas, eu não estava  sozinha, tinha quase a metade do ônibus comigo. Deus já foi quebrando vaidade, orgulho, prepotência, enfim trabalhando minha humanidade.

      A Dona Angélica nos acolheu com o coração tão aberto e sem reservas que comecei a pedir ao Senhor esta graça para minha vida, de ser assim para os meus irmãos, lutar sem cansar contra o egoísmo e ser mais acolhedora.

     O bairro era simples, quitinete simples, sem muita estrutura luxuosa. Deus não nos deu luxo, ele queria trabalhar nosso ego, principalmente, o meu. Era Deus também já me trabalhando naquilo que nosso Sumo Pontífice exortou o tempo inteiro na Jornada: sair do fechamento, ir ao encontro do outro, partilhar a vida, valorizar o outro como filho de Deus, ser um com o outro. Senti que muitas “escamas” dos meus olhos caíram.

     No segundo dia, para nossa surpresa fomos convidados para conduzir o louvor na catequese da JMJ, na Paróquia onde estávamos hospedados. Pensei: “Nem chegamos direito e o Senhor vem nos dando uma missão!”. Desde o início, sem perder tempo, já nos colocava para pôr em prática o tema da JMJ: “Ide e fazei discípulos entre todas as nações”.

     Para mim, as catequeses com bispos brasileiros foram muito marcantes. Confirmaram o quanto é importante a busca pela a formação constante. Gostaria de partilhar alguns tópicos da última catequese que para mim foi incrível, porque foi confirmando o que temos buscado vivenciar em nossa comunidade: “A amizade com Jesus é muito importante, Ele é muito próximo, não nos trai, não nos engana”; “A experiência de fé em Jesus Cristo precisa ser vivenciada todos os dias”; “Para ir e ensinar, nós temos que saber o que ensinar: Conhecer mais a pessoa de Jesus Cristo, investir no conhecimento da Igreja, como falar da Igreja sem conhecê-la? Como falar dos Sacramentos sem saber e sem vivenciá-los? Como falar de oração se não vivo a oração?”; “A comunidade é o elemento essencial para fortalecer a nossa fé”; “É um privilégio o Senhor nos confiar esta missão de anunciá-lo. Como irão acreditar se não tem quem pregue?”

     Amados irmãos, as catequeses duravam apenas meia hora, pouco tempo para muita riqueza. A “Jornada” da evangelização continua. Agora é hora de permanecermos unidos ao nosso Papa em oração, buscando tenazmente sermos discípulos do Mestre.

 

Glaucinéia Oliveira

Com. Amigos de Jesus

Please reload

                  ARTIGOS                 

Matrimônio, Fruto da História da Salvação (Parte III)

May 6, 2019

1/4
Please reload

Please reload