Livro da Vida


Todos os anos, no mês de outubro, normalmente escrevemos algo sobre Santa Teresa, pelo fato de no dia 15 a Igreja comemorar o seu dia. Além disso, sendo ela baluarte da Comunidade Amigos de Jesus, não podemos deixar de sermos gratos a ela - sua experiência pessoal com Cristo nos permite experimentar também uma amizade com o Senhor!

No Livro da Vida, um escrito da própria Santa, onde ela narra sua história de vida, ela mesma reconhece que recebe de Deus três graças: Com efeito, uma coisa é receber do Senhor a graça, outra, entender qual o favor e qual a graça, outra finalmente, saber discernir e explicar o que é. (Livro da Vida 17,5). Ou seja, Santa Teresa recebe de Deus a graça da Oração, entende que caminho é este da Oração pela qual ela caminha e tem a didática de explicar a outros este caminho, para que estes também possam trilhá-lo e fazerem a experiência da Oração.

Essa consciência do que acontece consigo mesma, da clareza da ação de Deus em sua vida, da sua entrega e ensinamentos deste caminho de intimidade com Deus, faz com que a Igreja reconheça Santa Teresa como Mestra de Oração.

A “gigante Teresa”, Doutora da Igreja, no entanto, trouxe em si uma característica que muitos “doutores do mundo” não carregam consigo: uma profunda humildade. Ela reconhece a todo instante que é Deus o Protagonista de sua vida, e não ela. Quando lemos seus escritos, percebemos o coração grato de Teresa. Seu viver é uma constante ação de graças a Deus.

Vasto é o que podemos falar e ressaltar de Santa Teresa: sua ousadia em Deus, sua determinação, sua fidelidade, sua doação, sua obediência, sua entrega, enfim a tamanha intimidade com que se relacionava com o Senhor. Podemos pedir que Ela interceda por nós, para que cresçamos em cada um destes pontos. Podemos pedir que ela nos ensine a abandonar nas mãos do Senhor, para que deixemos Ele ser Protagonista em nossa vida, assim como O foi na vida de Teresa.

Não estamos no início do ano, momento em que fazemos um projeto de vida para o ano que inicia, mas podemos começar neste mês também a escrevermos um Livro da Vida, não como autores de nossa própria história, mas de fato, deixando Deus ser o centro, reconhecendo que tudo o que já experimentamos, tudo o que somos, tudo o que nos acontece não vem de mérito nosso, mas tudo é graça de Deus! E o caminho para reconhecermos Deus como centro em nossas vidas é a Oração, é o estar a sós com Ele, é o partilhar tudo com o Senhor!

Vários conselhos de Santa Teresa ressoam através dos séculos para muitas gerações, mas podemos tomar um, para que possamos começar a abrir o espaço que Deus merece e deseja ocupar em nosso coração, em nossa vida, em nossa história, em “nosso Livro”:

Digo que muito importa, sobretudo, ter uma grande e muito decidida determinação de não parar enquanto não alcançar a meta, surja o que surgir, aconteça o que acontecer, sofra-se o que se sofrer, murmure quem murmurar, mesmo que não se tenha forças para prosseguir, mesmo que se morra no caminho ou não se suportem os padecimentos que nele há, ainda que o mundo venha abaixo. (Caminho de Perfeição 21,2)

Santa Teresa, Mestra de Oração, roga por nós!

Shirley Siqueira

Com. Amigos de Jesus

                  ARTIGOS