URGENTE – A DESTRUIÇÃO DA NOSSA FAMÍLIA



É com muita indignação que, venho falar às famílias brasileiras, à sociedade civil e aos católicos, sobre a imposição do Governo Federal, através de seus órgãos da educação: o MEC e o CONAE. No ano passado, foi rejeitada pelo Congresso Nacional a proposta enviada pelo Ministério da Educação referente à ideologia de gênero“identidade de gênero” e “orientação sexual” e, também, todas as suas colocações referentes a esses termos. O Poder Executivo de nosso país quer introduzir nas Assembléias Estaduais e nas Câmaras Municipais de vereadores o documento final da 2º Conferência Nacional de Educação do CONAE – 2014. A Ideologia de Gênero, desrespeitando as leis e ao Congresso Nacional – Poder Legislativo.


Mas, o que é ideologia de gênero?

“A ideologia de gênero consiste no esvaziamento jurídico do conceito de homem e de mulher, e as conseqüências são as piores possíveis. Conferindo status jurídico à chamada "identidade de gênero" não há mais sentido falar em "homem" e "mulher"; falar-se-ia apenas de "gênero", ou seja, a identidade que cada um criaria para si. Portanto, não haveria sentido em falar de casamento entre um "homem" e uma "mulher", já que são variáveis totalmente indefinidas. É a pura afirmação de que a pessoa humana é sexualmente indefinida e indefinível.” (Padre José Eduardo Oliveira: Caindo o Conto do Gênero, entrevista à Zenit, inhttp://www.zenit.org/pt/articles/caindo-no-conto-do-genero).

Na ideologia de gênero, o gênero é diferente de sexo masculino e feminino da biologia. Nossas crianças vão aprender nas escolas públicas e privadas que não existem menino (sexo masculino) e menina (sexo feminino), elas serão persuadidas a escolherem para as suas vidas, qual o papel/função que irão representar na sociedade como um “homem” ou uma “mulher”, ou ainda, qualquer outra coisa que quiserem em suas mentes vazias e alienadas por essa ideologia. Sem padrões de definição do que é correto ou não, é tudo uma questão de escolha, de “liberdade”, não pode haver discriminação. A ideologia de gênero não respeita as realidades biológicas de cada pessoa e o dom da vida na concepção que DEUS nos presenteou com o seu amor. Isso provocaria em pouco tempo um caos total na humanidade.


Mas, o porquê da implantação dessa ideologia?

Não havendo distinção sexual entre as pessoas, a estrutura familiar que mantém o pilar da sociedade organizada e viva, estaria com os seus dias contados. É neste ponto que as grandes organizações internacionais e os governos com ideologias individualista, socialistas, marxistas estão determinados em destruir qualquer tipo de autoridade familiar que ponha em risco seus interesses próprios. A autoridade familiar, pai, mãe e filhos é que mantém nossa humanidade viva e repudia a ação do inimigo ao longo da nossa história. Temos que ter cuidado com estas ideologias que nos são propostas a todo o momento, onde tudo é normal e permitido, mas, na verdade são forças do mal que estão escravizando, degradando, manipulando e levando almas a serem perdidas para o inimigo, são lobos vestidos de cordeiros prontos para destruir e exterminar as nossas famílias.

Desde a revolução socialista e marxista já tinham como uma das principais metas a destruição das famílias através do gênero.

“E, se as distinções culturais entre homens e mulheres e entre adultos e crianças forem destruídas, nós não precisaremos mais da repressão sexual que mantém estas classes diferenciadas, sendo pela primeira vez possível a liberdade sexual “natural”. Assim, chegaremos, em quarto lugar, à liberdade sexual para que todas as mulheres e crianças possam usar a sua sexualidade como quiserem. Não haverá mais nenhuma razão para não ser assim. Em nossa nova sociedade a humanidade poderá finalmente voltar à sua sexualidade natural “polimorficamente diversa”. Serão permitidas e satisfeitas todas as formas de sexualidade. A mente plenamente sexuada tornar-se-ia universal” (Shulamith Forestone: The Dialetic of Sex, 1970, Bantam Books, New York).


O que nós como famílias, cristãos, católicos podemos fazer, para que isto não ocorra?

Devemos nos posicionar contra esta Ideologia de Gênero, não podemos fechar os nossos olhos, ouvidos e bocas e fingir que não é conosco. Nossos filhos e filhas casarão com filhos e filhas de outras famílias, e como será a estrutura dessa outra família? Devemos ser católicos verdadeiros, autênticos, sem medo de nos mover, agir e falar para defender nossas famílias. Lembre-se, DEUS está conosco, Ele honrará a família que honra o Seu nome.

Podemos procurar os vereadores da nossa cidade e os deputados de nosso Estado para que não aprove esta ideologia do gênero no plano da Educação no Município e no Estado onde moramos, para que sejam retiradas as palavras gênero e orientações sexuais e também em outros documentos que tenham como metas estas mesmas estruturas mencionadas. É hora de cobrar dos representantes que nós elegemos a defesa em prol das nossas famílias.

A Conferência Nacional dos Bispos Brasileiros – CNBB, já se pronunciou contra a ideologia de gênero, através de uma carta de seu Secretário Geral, Leonardo Ulrich Steiner, Bispo auxiliar de Brasília, no dia 22 de maio de 2015: “além de expressar nosso posicionamento contrário à inclusão da ideologia de gênero”.

Unamo-nos em orações e peçamos a Nosso Senhor Jesus Cristo, que quis nascer no seio de uma Família, para nos dar força e coragem, pois, Ele conta conosco e espera de cada um de nós uma resposta, não esqueçamos de suas promessas: “CORAGEM! NÃO TENHAIS MEDO, EU ESTAREI SEMPRE CONVOSCO!”. Ele nunca nos deixará sozinho! Que a Virgem Maria interceda por nós!

Sagrada Família rogai por nós!

Custer de Oliveira

Com. Amigos de Jesus

                  ARTIGOS