Terra Santa: Um divisor de águas em nossas vidas!

October 13, 2015

 

       Quando pensamos em estar na Terra Santa, sempre nos referimos a pisar nos lugares onde Jesus andou, nasceu, viveu, realizou milagres. Então, quando temos a oportunidade de fazer essa experiência, nos emocionamos e nos sentimos privilegiados e não merecedores de tamanha graça. São momentos e situações que nos marcam para sempre!

       Diante da oportunidade de estar nos locais sagrados da Terra Santa no último mês de setembro, me questionava e perguntava a Deus o que mudaria em mim depois dessa vivência. Fui com o coração aberto para que Ele mesmo falasse comigo e transformasse o que fosse da vontade Dele em meu coração.

       Fiz uma experiência singular em uma Santa Missa, rezada em árabe, em que o Padre Moacir, nosso diretor espiritual, concelebrou com um sacerdote iraquiano e outro indiano. Nessa missa, nós brasileiros, não entendíamos absolutamente nada daquele idioma tão distinto do nosso. Porém, pude sentir a unidade de nossa Igreja. O rito da missa é o mesmo, as leituras são as mesmas em qualquer parte do mundo. Conseguimos participar acompanhando cada parte da Missa. Aquilo me fazia experimentar a riqueza e a força da Igreja de Cristo. As palavras da homilia vieram como uma flecha em meu coração. Senti a força da Palavra de Deus, ditas de forma tão expressiva por aquele sacerdote, mesmo sem entender uma vírgula do que ele estava dizendo. Ao término da Missa, meus olhos estavam cobertos de lágrimas e meu coração edificado.

       A partir dessa experiência, olhando para aqueles dois sacerdotes vindos de lugares distintos, que moram na paróquia da cidade de Belém, meus olhos se abriram para os missionários que doam suas vidas na Terra Santa. Eles estão lá, sem a pretensão de converter as pessoas de outras religiões, mas, simplesmente sendo luz para os seguidores de Cristo da Terra Dele, o que já é algo grandioso, pois, lá é um lugar onde os cristãos são a minoria e esses missionários partem do mundo inteiro para serem canal da graça e fortaleza para os cristãos daquele lugar.

       Outro testemunho que posso dar foi o de perceber a experiência de Deus que cada pessoa do nosso grupo fez. Ouso dizer que, tenho certeza que nenhum de nós será a mesma pessoa depois de tantas graças experimentadas. Deus se revelou de forma particular a cada um, em locais diferentes e selou os corações com Seu amor. O mesmo amor que O levou a morrer na cruz, por toda a humanidade, foi o amor que experimentamos ao participar do Santo Sacrifício da Missa nos locais sagrados. Foram atualizadas para nós a morte e ressurreição de Cristo que nos garantem uma vida nova.

       Entendo que essa Peregrinação é um “divisor de águas” em nossas vidas. Após essa experiência, percebo claramente que, um coração que se sente amado por Deus é capaz de amar de uma maneira nova e dar a própria vida para que outros sintam esse mesmo amor. Por isso, aqueles missionários se doam naquelas terras e por isso que cada peregrino da Terra Santa volta repleto de uma nova capacidade de transmitir amor às pessoas que vivem à sua volta.

       Isso não é algo subjetivo! Na prática, encontraremos em nosso cotidiano os efeitos dessa Peregrinação; E ao fim da nossa peregrinação nesta vida, iremos, enfim, nos alegrar, ao lado de Jesus no céu, a definitiva Terra Santa.

 

Luciana Bitencourt

Consagrada da Comunidade Amigos de Jesus

Please reload

                  ARTIGOS                 

Matrimônio, Fruto da História da Salvação (Parte III)

May 6, 2019

1/4
Please reload

Please reload