Santa Teresa em nossas famílias



Teresa é uma mestra nata, uma diretora espiritual, foi escolhida por Deus para fundar, formar, desbravar os caminhos da alma. Mas, também é humana, tem seus limites e suas fraquezas. Porém, o caminho trilhado por Teresa e suas monjas pode ser trilhado por nós. Não somente a ordem carmelitana, não somente os celibatários.

Em sua época, Teresa era como um “escândalo”: “mulher se dando a escrever e, sobretudo, assuntos da alma?”. Isso era somente para varões e varões letrados. Hoje, creio que as famílias são convidadas a trilhar os mesmos caminhos de Teresa. Nós, famílias, também somos chamados a aprofundar na oração contemplativa, se assim Deus o desejar.

Pais e mães, mais do que nunca, necessitam se tornar amigos fortes de Deus. Necessitam de muita sabedoria e graça para educar seus filhos. Quem melhor para guiar as almas de suas crianças? Quem seriam melhores diretores espirituais para seus filhos, senão aqueles que foram seus cocriadores? Quem, conhecendo a si mesmo, não poderia ajudar a sua prole a reconhecer as más inclinações que passam de uma geração para outra?

Teresa queria que suas filhas vivessem no mosteiro para agradar a Jesus em tudo, para que fossem íntegras quanto à fé, como desagravo à reforma protestante, para viverem como “varões fortes” na prática das virtudes.

Resguardada as devidas diferenças, o modelo de Teresa se aplica, perfeitamente, em nossas famílias. Digo isso, não somente para os membros da Comunidade Amigos de Jesus, onde essa analogia se encaixa como uma luva; mas, para todas as famílias que queiram verdadeiramente seguir a Cristo.

Que Deus nos dê a graça de aprofundar nessa amizade com Jesus e que essa amizade dê muitos frutos em nossas famílias.


Fernando Emerick

Fundador da Comunidade Amigos de Jesus

                  ARTIGOS