Peregrinação à "Cidade Eterna"

October 29, 2015

       

 

Eu (Fernando), Kelly e Bebel (Maria Isabel), tivemos a graça de participarmos da primeira canonização de um casal. Um fato de enorme significância na história da Igreja. Por isso, gostaríamos de partilhar um pouco desta maravilhosa aventura que foi nossa peregrinação rumo aos altares de Luiz Martin e Zélia Guérin (Pais de Santa Teresinha). Chegamos em Roma na manhã do dia 16/10 após uma apertada viagem na Alitália. Passamos sem problemas pela imigração italiana e demos início ao cumprimento do roteiro meticulosamente traçado para aproveitarmos o máximo de nossa estadia na “Cidade Eterna”.

       Tivemos a primeira impressão de Roma depois de pegarmos o Leonardo Express, um trem que liga o aeroporto Fiumicino à principal estação de metrô de Roma, a Termini. Uma cidade com boa mobilidade urbana, mas, muito suja. Essa primeira impressão seguiu se onfirmando durante toda a peregrinação. Os italianos se apresentaram gentis e, de certo modo, até parecidos conosco, os brasileiros. Outra semelhança é que dizem que lá tem tanta corrupção como no Brasil. Acho difícil baterem o nosso recorde.

       Não foi simples nossa chegada. Na Termini, nossa querida mala fabricada na China quebrou suas rodas e tive que levar 32 kilos na mão até chegarmos ao hotel. O problema é que antes teríamos que pegar os convites para a canonização na Casa Geral do Carmelo. Após esta pequena provação, enfim, chegamos ao hotel após 30 horas de viagem e duas noites sem dormir. Mas, nosso cansaço não era maior que nossa alegria. Apenas tomamos uma ducha rápida e logo saímos para conhecer a Basílica de São Pedro no Vaticano.

       Indescritível a sensação de se estar na Praça de São Pedro; milhares de pessoas de todo o mundo entrando e saindo da Basílica de São Pedro inaugurada em 1626 e que pode abrigar até 60 mil pessoas. Entramos na Igreja de Pedro, onde Pedro e João Paulo II estão sepultados. Tivemos a graça de assistir Missa na nave central da Basílica. Posso partilhar que tive o sentimento de pertencer a uma Igreja Gloriosa. Mesmo ainda estando em peregrinação, o Vaticano é a antecipação da Igreja Gloriosa. Lá pude perceber que é possível o reino de Deus.

       No dia 17/10, após um gostoso café da manhã que preparamos na pequena e bem equipada cozinha do nosso quarto de hotel, saímos para visitar o Museu do Vaticano. Novamente, milhares de pessoas entrando e saindo do museu que na verdade é composto por vários museus e a Capela Sistina. Ficamos quatro horas e não conseguimos ver tudo. A Capela Sistina é maravilhosa! Além do conteúdo artístico de Michelangelo, saber que ali já foram realizadas várias eleições papais, é algo magnífico! Como Bebel já estava irritada, e com razão, resolvemos voltar para o hotel, porque a noite prometia.

       Então, mais tarde pegamos o metrô para a Basílica de Santa Teresa, onde haveria uma vigília em preparação para a canonização que aconteceria no dia seguinte. Belos cantos e os testemunhos das duas famílias que receberam os milagres que propiciaram a beatificação e a canonização de Luiz e Zélia, marcaram aquela agradável noite carmelita em Roma. Para um casal que teve nove filhos dos quais quatro morreram prematuramente, os milagres não poderiam ser outros se não a interseção sobre duas crianças que estavam em perigo de morte.

       É chegado o grande dia da canonização (18/10). Chegamos na Praça de São Pedro duas horas antes do início da Missa e o ambiente já estava parcialmente tomado. A Guarda Suíça e o cerimonial litúrgico já faziam suas preparações. E durante a Santa Missa, Luiz e Zélia foram incluídos na ladainha de todos os santos, entoada por um esplendoroso coral. Agora, São Luiz e Santa Zélia são modelos de santidade para todas as famílias. Com esse sinal, a Igreja convida não somente a pedirmos a interseção desse casal, mas, convida a todas as famílias do mundo a trilharem o mesmo caminho de santidade.

       Como era preciso cumprir o itinerário da peregrinação, no mesmo dia visitamos nossa segunda Basílica Papal: Basílica Santa Maria Maior. Inaugurada no ano 440 logo depois do concilio de Éfeso (431) que proclamou Maria como Mãe de Deus.

       No dia 19/10 acordamos bem cedo para visitarmos nossa terceira Basílica Papal: Basílica São João de Latrão. É a mais antiga Basílica Papal de Roma inaugurada no ano 324. É a Mãe de todas as Igrejas do mundo, possuindo importância maior que a basílica de São Pedro. Lá ocorreram cinco concílios ecumênicos. Foi dedicada, primeiramente, à Cristo Salvador. E por providência, nesse dia iria ser celebrada nesta Basílica uma Missa em ação de graças pela canonização de Luiz e Zélia. Roteiro perfeito, um tríduo de canonização dentro da nossa peregrinação. Próximo à Basílica também conhecemos a Universidade Lateranense que abriga o Instituto João Paulo II para as famílias.

       Continuamos nosso roteiro caminhando em direção ao Coliseu, mas, antes uma parada para almoçarmos em um agradável restaurante italiano. O Coliseu, também conhecido como Anfiteatro Flaviano ou Flávio, é um anfiteatro construído no período da Roma Antiga. Inaugurado no ano 79 d.C., deve seu nome à expressão latina Colosseum, devido à estátua colossal do imperador romano Nero, que ficava perto da edificação. Para nós o que mais marca é que o Coliseu, provavelmente, foi palco de muitos martírios. Por isso, o Papa Bento XIV consagrou-o no século XVII à Paixão de Cristo e declarou-o lugar sagrado. Foi um dia rico e intenso.

       Infelizmente, chegara nosso último dia em Roma (20/10). Acordamos um pouco mais tarde, demos baixa no hotel, guardamos nossa nova mala made in china na estação Termini e fomos ao encontro de nossa última Basílica Papal: Basílica São Paulo Extramuros. São Paulo fora da Muralha foi fundada pelo imperador romano Constantino I sobre o túmulo de São Paulo, exatamente no local onde, depois da decapitação do apóstolo, seus discípulos erigiram uma cella memoriae. Além de uma arquitetura deslumbrante lá se encontra o túmulo de São Paulo.

       Voltamos para a Termini pegamos um ônibus para o aeroporto e às 21:45 do dia 20/10, voltamos para o nosso querido Brasil. Voltamos com nossa mala made in china, cheia de Roma, cheia da Igreja e cheia de santos.

 

 

Fernando Emerick

Fundador da Comunidade Amigos de Jesus

Please reload

                  ARTIGOS                 

Matrimônio, Fruto da História da Salvação (Parte III)

May 6, 2019

1/4
Please reload

Please reload