O amor humano, sinal visível do Amor Divino

November 9, 2015

 

 

“Deus criou o ser humano à sua imagem, à imagem de Deus o criou. Homem e mulher ele os criou” (Gn 1,27).

 

 

     Desde o principio da criação a Palavra de Deus nos revela ricamen

te o seu grande amor pela humanidade. Todo o plano de criação, toda a história da salvação, nos aponta sempre  para uma mesma direção, o amor.

       Para que entendêssemos esse amor, Deus quis usar como analogia o amor esponsal, o amor de marido e mulher, por isso, em muitos trechos do antigo testamento como no livro de Cântico dos cânticos, Ez 16,6-14; Os 1-2; Is 54, 5-7; Jr 2,2; O Senhor declara o seu amor à sua esposa.

       No novo testamento Deus continua declarando o seu amor por nós e agora, de forma mais clara, apresenta o seu próprio filho Jesus, como esposo da Nova Aliança, São Paulo na sua carta aos Efésios  5, 23-33 mostrará o matrimonio como um sacramento (sinal) da relação entre Cristo e a Igreja, para nos dizer que assim como o Cristo deu a vida pela sua Esposa, assim também nós devemos dar a vida pelo nosso cônjuge.

       Olhando então para Jesus, entendemos que não existe limites para amar, e que, o amor verdadeiro vai até as últimas consequências e dá a própria vida pelo seu amado.

       O mundo moderno tem conseguido esvaziar o verdadeiro significado da palavra Amor, pois a sociedade usa a palavra Amor para expressar “sentimentos” e relacionamentos superficiais e efêmeros. Basta alguém se sentir atraído fisicamente por outra pessoas que já emprega o termo: “estou amando”, em outros casos, basta uma decepção no relacionamento, ou desgastes provenientes de discórdias, traições para se dizer: “o amor acabou”.

       Deus, que é o principio e o fim de tudo revela-se a nós na I carta de João 4,16b: “Deus é amor; quem permanece no amor, permanece em Deus, e Deus permanece nele”.

       O Amor pleno, que vem de Deus não se esvazia, não se apaga, não morre, pois Deus, que é a essência do amor, é eterno, por isso, o amor não pode nunca deixar de ser amor.

       Considerando que Deus, é o próprio amor, podemos dizer que ele é então, a fonte inesgotável do Amor. Sendo assim, só é possível amar verdadeiramente o outro, quando buscamos no próprio Deus, esta capacidade de amar. Como palavra nos diz, quanto mais permaneço em Deus, mais sou capaz de amar o outro, e quanto mais amo o outro, mais em Deus eu estou.

       Desta forma, o amor humano, torna-se o sinal visível do amor de Deus pela humanidade e quanto mais aprofundamos na capacidade de amar, ainda mais vamos nos tornando aptos a dar a vida pelo outro como o próprio Cristo deu a vida por nós.

       Podemos então afirmar, que capacidade de dar a vida pelo outro é o termômetro que temos para medir o quanto amamos. Se aprendemos com o próprio Deus na sua palavra que o amor esponsal é esta manifestação humana do Amor Divino, então, temos uma oportunidade ímpar, de fazer com que o cônjuge faça a experiência de sentir-se amado por Deus, através do amor manifestado por nós mesmos, nos pequenos gestos diários da vida cotidiana.

 

Kelly Emerick

Fundadora da Com. Amigos de Jesus

Please reload

                  ARTIGOS                 

Matrimônio, Fruto da História da Salvação (Parte III)

May 6, 2019

1/4
Please reload

Please reload