2016, um ano marcado pela Misericórdia

O ano 2016 já começou e diversos eventos de grande importância estão sendo programados na agenda do Papa Francisco, entre estes, destacam-se o Jubileu da Misericórdia e sua esperada e histórica viagem ao México em fevereiro.

O Santo Padre visitará a terra da Virgem de Guadalupe entre os dias 12 e 18 de fevereiro e estará não só no Distrito Federal, viajará a quatro lugares onde nunca esteve nenhum outro Pontífice: Ecatepec, San Cristóbal de las Casas, Morelia e Cidade Juárez (fronteira com os Estados Unidos).

No último dia 8 de dezembro, Solenidade da Imaculada Conceição, o Papa inaugurou o Ano Santo da Misericórdia, um Jubileu dedicado ao tema pelo qual Francisco será recordado na história e sobre o qual nunca deixou de falar desde que foi escolhido como sucessor de Pedro.

Como prova da sua preocupação especial pela necessidade de misericórdia no mundo, o Pontífice decidiu abrir a primeira Porta Santa neste jubileu na Catedral de Bangui (República Centro-Africana), um país muito afetado por uma guerra civil que gerou ainda mais pobreza.

O histórico evento aconteceu no dia 29 de novembro de 2015, no contexto da sua primeira viagem à África, onde também visitou Quênia e Uganda. Neste último país, honrou os mártires cristãos nessa nação, uma demonstração de proximidade aos fiéis que sofreram e sofrem a perseguição por causa de sua fé em Jesus, como atualmente acontece em países como Iraque, Síria, Paquistão, Sudão, Coreia do Norte, entre outros.

O histórico restabelecimento das relações entre Cuba e Estados Unidos em 2015 também nos mostram as ações concretas do Vaticano, lideradas pelo Santo Padre, para a reconciliação dos povos.

Sua viagem a ambas as nações no ano passado também foi um apelo à solidariedade, a reconciliação e a misericórdia, de maneira especial durante o Encontro Mundial das Famílias realizado na Filadélfia e que foi uma preparação para o Sínodo dos Bispos sobre a Família.

Durante este ano, a Igreja também está à espera da exortação pós-sinodal fruto do Sínodo da Família realizado em outubro de 2015 no Vaticano, com a participação de mais de 260 bispos do mundo inteiro, no qual analisaram os desafios e a realidade das famílias no mundo de hoje.

Em 2016, o Papa Francisco também irá à Polônia, na cidade de Cracóvia, onde presidirá a Jornada Mundial da Juventude, a segunda do seu pontificado. A primeira aconteceu no Rio de Janeiro em 2013, na qual mais de três milhões de jovens celebraram a fé com o Santo Padre, enquanto encorajou os jovens a “fazerem barulho”.

No país europeu, é esperado que o Papa Francisco visite o campo de concentração de Auschwitz, como Bento XVI em 2006, e o Santuário Mariano de Czestochowa.



O Ano Santo da Misericórdia

O Papa Francisco inaugurou o Jubileu ou Ano Santo da Misericórdia em 8 de dezembro de 2015 na Solenidade da Imaculada Conceição da Virgem Mariaao abrir, acompanhado de Bento XVI, a Porta Santa na Basílica de São Pedro.

Este Jubileu concluirá no dia 20 de novembro de 2016, Solenidade de Cristo Rei.

Durante este ano, os fiéis poderão obter a indulgência plenária fazendo uma peregrinação à Porta Santa que cada Bispo tenha designado em sua respectiva Diocese, além de cumprir os requisitos gerais.

Entre os diversos eventos para este Ano Santo e já no tempo da Quaresma, em 10 de fevereiro, serão enviados os missionários da misericórdia, sacerdotes que poderão perdoar também os pecados reservados como o doaborto, que ordinariamente só os bispos e alguns presbíteros com uma licença especial podem absolver.

Em 4 de março, voltará a celebrar as 24 horas para o Senhor, um dia dedicado à adoração ao Santíssimo Sacramento; em 1º de abril será o Jubileu dos devotos da espiritualidade da Divina Misericórdia.

Em 23 de abril, será realizado o Jubileu dos Adolescentes e, em 5 de maio, a “Vigília de oração para enxugar as lágrimas”, um evento no qual se rezará por “todos os que têm necessidade de consolação”, presidido pelo Papa Francisco na Basílica de São Pedro.

Em 1º de junho, será o Jubileu dos Sacerdotes e, no dia 10, o dos doentes. Em julho, no dia 26 e coincidindo com a Jornada Mundial da Juventude (JMJ), o Jubileu dos Jovens.

Em 2 de setembro, será o Jubileu dos Operários e Voluntários da Misericórdia. Neste marco, os fiéis do mundo inteiro esperam a canonização da Beata Madre Teresa de Calcutá, que provavelmente será declarada Santa em 4 de setembro.

Em 8 de outubro, será o Jubileu Mariano e, em 6 de novembro, o dos reclusos, que neste Ano da Misericórdia terão a graça de contar, em diversos cárceres do mundo, com portas santas onde poderão obter a indulgência plenária seguindo os requisitos habituais.

Em diversas ocasiões, o Santo Padre expressou sua atenção aos detentos, razão pela qual visitou um cárcere nos Estados Unidos e outra na Bolívia, o mais perigoso do país, durante o ano de 2015.

No cárcere da Palmasola, na Bolívia – na visita à América do Sul, que incluiu o Equador e Paraguai –, o Papa afirmou que “o que está diante de vocês é um homem perdoado. Um homem que foi e é salvo de seus muitos pecados. E assim é como me apresento. Não tenho muito mais para lhes dar ou lhes oferecer, mas o que tenho e o que amo, sim quero dar-lhe, sim quero compartilhá-lo: é Jesus, Jesus Cristo, a misericórdia do Pai que veio para nos mostrar, para fazer visível o amor que Deus tem por nós”.

Embora as palavras do Santo Padre estivessem dirigidas aos reclusos do cárcere mais perigoso da Bolívia, estas podem se aplicar a qualquer fiel que quer viver sua fé de maneira mais intensa neste Ano Santo da Misericórdia, uma ocasião inestimável para aproximar-se do perdão de Deus que sempre nos espera.


Fonte: acidigital

                  ARTIGOS