Ave, cheia de graça! O Senhor é contigo!



No mês de maio a Igreja se dedica em prestar homenagem àquela que, sem dúvida, merece todo o nosso afeto e admiração: Maria, a mãe de Jesus. Mas, não somente a mãe do Senhor, ela, também, foi dada a nós como mãe, pelo próprio Jesus na cruz, no momento mais dramático da sua crucificação, quando Ele entrega a sua mãe ao discípulo amado dizendo: “Mulher, eis aí o seu filho, filho eis aí a sua mãe”. (Jo 19,26)

Entender o valor de Maria em nossas vidas nos protege das acusações feitas contra ela. Já nos primeiros três séculos da Igreja, Maria é defendida pelos padres da Igreja como a Mãe do Senhor ou Theotókos. Theotókos é o título grego de Maria, usado especialmente na Igreja Ortodoxa e Igrejas Orientais Católicas. Sua tradução literal para o português inclui "portadora de Deus". O Concílio de Éfeso decretou esta doutrina dogmaticamente em 431.

Tal expressão é justificada na Palavra através de Lucas 1,43, onde Isabel saúda a Virgem Maria como a "mãe do meu Senhor". Também se utiliza Isaías 7,14 e Mateus 1,23; que contêm a profecia do Emanuel, que significa “Deus Conosco”, pois, quem o dá à luz é uma virgem, no caso, Maria.

Ora, uma vez que Maria é a mãe de Deus e nossa mãe, ela é também o refúgio seguro para todos os cristãos. Estar junto de Maria significa nos proteger das ciladas do mal, pois, uma boa mãe sempre protege os seus filhos dos perigos. Ficar no colo da mãe é o melhor lugar que podemos estar, ali podemos fazer a experiência de recostar no ventre daquela que gerou Jesus.

Refletir sobre a maternidade divina de Maria me ajuda amar ainda mais o dom e o chamado de ser mãe. Neste mês de maio, Deus me dá a graça não somente de meditar sobre esse dogma de fé, mas, também de poder fazer a experiência de gerar uma nova vida dentro mim. Preparando-me para o parto do meu sétimo filho, me sinto profundamente agraciada por poder contar com a proteção amorosa de Maria aquela que é a medianeira de todas as graças.

Penso que não há nada mais sublime na vida de uma mulher do que o dom da maternidade, uma vez que através dela tocamos o plano divino. Permitimos que o plano criador de Deus, ultrapasse a dimensão espiritual e se encarne em nosso seio como fez com Maria. Isso é espetacular! Tal acontecimento não seria possível se assim Deus não quisesse, por isso, precisamos reconhecer a graça que nos envolve.

Por isso, neste mês de maio gostaria de me unir a todas as mães do mundo inteiro clamando a intercessão da mãe do céu, para que ela nos ajude a viver com docilidade e alegria os desígnios de Deus a fim de que o nosso sim à vida seja um grande testemunho de fé a todos aqueles que ainda não compreendem a misericórdia e a graça de Deus.


“A vossa proteção nós recorremos Santa Mãe de Deus”. Oração do século II.

Kelly Emerick

Fundadora da Com. Amigos de Jesus

                  ARTIGOS