O Pentecostes através de Maria

May 19, 2016

 

       O mês de maio na Igreja é dedicado a Maria e também celebramos o Pentecostes, o derramamento do Espírito Santo sobre os apóstolos no cenáculo. Mas será que a única relação de Maria com o Espírito Santo é a sua presença no cenáculo junto com os discípulos? 

       Se o Espírito Santo conduziu o curso da humanidade para que o “Espírito de Jesus” estivesse presente na história do povo hebreu, formando um povo escolhido para a plenitude dos tempos, quão grande não seria sua participação na encarnação do verbo: "Respondeu-lhe o anjo: O Espírito Santo descerá sobre ti, e a força do Altíssimo te envolverá com a sua sombra. Por isso o ente santo que nascer de ti será chamado Filho de Deus" (Lc 1,35). O Anjo Gabriel anuncia à Maria que ela conceberia por ação e Graça do Espírito Santo. Maria é totalmente envolvida pelo Espírito Santo e Jesus é concebido por uma ação direta deste mesmo Espírito.

       Esta ação direta, diferentemente de outras gestações descritas na bíblia que tiveram a participação de varão, constitui um evento único na história da salvação. Não há maior intervenção ou ação possível do Espírito Santo sobre a terra, do que gerar Cristo em um corpo humano. É Deus que se faz homem pela ação do Espírito Santo: "Enquanto assim pensava, eis que um anjo do Senhor lhe apareceu em sonhos e lhe disse: José, filho de Davi, não temas receber Maria por esposa, pois o que nela foi concebido vem do Espírito Santo" (Mt 1,20).

       O Espírito Santo não apenas age diretamente na concepção de Jesus, o que por si só já seria extraordinário, mas, após a sua concepção ele permanece em Jesus. A visitação de Maria à sua prima Isabel constitui uma cena que configura esta presença do Espírito Santo: "Ora, apenas Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança estremeceu no seu seio; e Isabel ficou cheia do Espírito Santo" (Lc 1, 41). João Batista estremeceu no ventre de Isabel devido à presença de Jesus ainda no ventre de Maria. Jesus comunica o Espírito Santo à João Batista.

       Maria e Isabel também estão cheias do Espírito Santo. A primeira por ser objeto da ação direta do mesmo, e a segunda, por ação indireta da primeira. Maria é a arca da nova aliança. Ela é portadora do salvador e é portadora do Espírito Santo. Não como um objeto feito de madeira e ouro, mas, como um ser orgânico, vivo e cheio do Espírito Santo. O sim de Maria a torna esta arca reluzente que, por gestar Jesus, antecipa o pentecostes. Sabemos que é cristo que comunica o seu Espírito, porém, em sua humilde condição humana, Jesus quis necessitar de uma mãe para cooperar com o plano salvífico.

       Peçamos,  neste mês de maio, a presença de Maria em nossas casas para que aconteça um grande Pentecostes em nossas vidas.

Fernando Emerick

Fundador da Comunidade Amigos de Jesus

Please reload

                  ARTIGOS                 

Matrimônio, Fruto da História da Salvação (Parte III)

May 6, 2019

1/4
Please reload

Please reload