Chamados à Santidade

July 3, 2016

 

       Todos nós temos uma vocação, uma semente que Deus coloca em nossos corações, semente essa que deve ser germinada e produzir muitos frutos. Etimologicamente, vocação vem do latim “vocare” que quer dizer chamar. Se vocação é um chamado, Deus é aquele que chama. Todos somos chamados a sermos Filhos de Deus. Mas, como posso dizer meu “sim” à Filiação Divina de forma concreta em minha vida?

       No dia 29 de Junho, a Igreja celebra a Solenidade de São Pedro e São Paulo, os dois maiores pilares da Igreja. Hoje, faremos uma experiência catequética com estes grandes Santos da nossa Igreja. Será por meio de Pedro e Paulo que conseguiremos traçar este itinerário espiritual da nossa vocação de Cristãos e Filhos de Deus.

       Todos somos chamados à Santidade. Recebemos de Deus, no batismo, o Espírito Santo que vem envolver e despertar o maior tesouro que guardamos dentro de nós, a nossa vocação de sermos Filhos de Deus. No batismo somos inteiramente consagrados a Deus, recebendo, por intermédio de Cristo, a Filiação do Céu, um retorno a dignidade do homem como imagem e semelhança de Deus.

       É crendo nessa Verdade que Pedro, em suas cartas quis reavivar nos cristãos o chamado à Santidade, o chamado a sermos autênticos Filhos de Deus. Como filhos, precisamos ser educados segundo o Amor de Deus-Pai, buscando a Santidade que vem dessa Filiação Divina, por isso, no início da Carta de São Pedro, o autor sagrado vem destacar: “À maneira de Filhos Obedientes, já não vos amoldeis aos desejos que tínheis antes, no tempo de vossa ignorância. À exemplo da santidade daquele que vos chamou, sede também vós, santos em todas as vossas ações” (I Pd 1, 14-15). E mais adiante relembra-nos: “Vós, porém, sois uma raça escolhida, um sacerdócio régio e uma nação santa, um povo adquirido para Deus, a fim de que publiqueis as virtudes daqueles que das trevas vos chamou à sua luz maravilhosa” (I Pd 2, 9).

       Pedro, como Pastor dos Cristãos e representante de Cristo na terra, se mostra preocupado com o seu rebanho, pois, ele reconhece a fraqueza do homem que vive no mundo, envolto de trevas e pecado. Sabendo disso, Pedro nos alerta a sermos vigilantes em oração, nos lembrando sempre que Cristo está conosco e é Deus mesmo que nos sustenta, se confiarmos n’Ele.

       Essa vigilância se estende até a própria pregação do Evangelho, pois, alerta Pedro, existem muitos falsos profetas e doutores espalhados pelo mundo, por isso, é preciso ter o coração centrado nos ensinamentos do Verdadeiro Evangelho à luz da Igreja, e a Igreja de Pedro é a Igreja Católica. Isso mesmo, A Igreja Católica é a mesma Igreja de Pedro que tem a missão de levar e sustentar a fé dos seus cristãos. Faz parte dessa vigilância o estudo da Doutrina Católica, pois, só conhecendo a Igreja, que podemos amá-la e mantermo-nos vigilantes. Com a Igreja nunca estaremos sozinhos.

       Pedro, ainda, vem nos alertar para tomarmos cuidado com aquelas amizades que tendem a nos afastar de Deus, pois, tudo que contribui para o pecado, leva ao erro. Se já experienciamos o Ressuscitado, vivamos, verdadeiramente, uma vida nova, um novo nascimento, sejamos Cristãos Autênticos.

       Paulo sabe muito bem a dificuldade de nascermos de novo, para sermos Cristãos Autênticos. Paulo era jovem e tinha uma futura carreira como judeu. Ele foi bem-educado e formado na fé judaica, mas, para viver a vida nova, deixou tudo para seguir a Cristo, não se preocupando com o que iriam dizer dele, nem com relação aos judeus, quanto em relação aos próprios cristãos. Os cristãos desprezaram muito a pessoa de Paulo, perseguindo-o, mas o Apóstolo dos gentios, manteve seus olhos fixos em Cristo, e por amor à Cristo superou toda perseguição. Para vivermos a nossa vocação de cristãos, devemos seguir o exemplo de Paulo. Por mais que nossos familiares nos machuquem e nossos irmãos na fé nos persigam, precisamos manter os olhos em Cristo e sermos fiéis aos ensinamentos da Igreja de Cristo.

       Paulo, reconhece sua fraqueza, reconheçamos a nossa também, e digamos junto com Paulo, “quando me sinto fraco, então é que sou forte” (2Cor 12, 10). Somos fortes porque Aquele que tanto nos amou e nos chamou à Santidade, nos dá forças para vencermos o mal, para combatermos o bom combate da fé.

       Um cristão não pode viver com máscaras, sendo uma pessoa dentro de casa, outra no trabalho, outra com os amigos e outra na Igreja. Um verdadeiro Cristão que diz “sim” ao chamado de Deus, vive a sua fé em todas as àreas de sua vida, sem exortar ninguém, nem acusar pessoa alguma, mas, somente dando testemunho que não somos nós que vivemos, mas é Cristo que vive em nós (cf. Gl 2, 20). Acredite, um testemunho de fé é mais eficaz do que qualquer pregação do Evangelho, pois, os frutos do testemunho são capazes de produzir novas sementes no coração do mundo.

       Aprendamos com Pedro e Paulo a sermos verdadeiros Filhos de Deus e vivermos a nossa vocação de forma, cada vez mais, autêntica; dando testemunho em nossa família, em nosso trabalho, com os nossos amigos e até mesmo dentro da Igreja. Não precisamos trazer nada de novo, pois, cairemos no risco de sermos nós os falsos profetas, mas, devemos sim levar o conhecimento de Deus e da Igreja a todos os povos.

       São Pedro e São Paulo, rogai por nós!

Leandro Perpétuo

Com. Amigos de Jesus

Please reload

                  ARTIGOS                 

Matrimônio, Fruto da História da Salvação (Parte III)

May 6, 2019

1/4
Please reload

Please reload