Um Celibatário para as famílias

August 21, 2016

 

       Todo homem traz em si, uma sede intrínseca pelo transcendente. Por ser intrínseco, muitas vezes, buscamos Deus sem percebermos.Alguns o buscam no dinheiro, outros nos amigos, outros nas coisas ilícitas, mas, não o encontram e continuam em seus “vazios”. Eu, na minha adolescência, trilhava esse caminho, e continuava no meu “vazio”.

       Quando tinha 17 anos, finalmente, encontrei a Verdade que preencheu todo esse vazio. Esse encontro, mudou a minha vida, comecei a trilhar um novo caminho, um caminho onde encontrei a felicidade, um caminho com muitas pedras, desafios e barreiras, porém, um caminho santo que passa pelo autoconhecimento, pela vida de oração e pelo encontro com Deus.

       Deus usou de uma pedagogia fascinante comigo. Primeiro, ele me mostrou o tamanho de seu amor por mim, depois me apresentou a Igreja(sempre fui católico, mas, só fui amar a Igreja, depois de trilhar esse caminho). Dentro da Igreja, Deus me chamou para viver na Comunidade Amigos de Jesus, a trilhar uma nova etapa desse caminho, o caminho da vida consagrada.

       Quando entrei na Comunidade, fui aos poucos me conhecendo, e reconhecendo minhas limitações, defeitos e pecados. Até hoje, passo por esse autoconhecimento, e acredito que faz parte da nossa formação humana. Reconheci, portanto, que sozinho não conseguiria dar a minha resposta diária a Deus. E por isso, Deus, em sua misericórdia infinita, havia me introduzido em uma família, a família Amigos de Jesus.

       A relação do Carisma Amigos de Jesus e as famílias é muito relevante. Quantas famílias foram atingidas por esse carisma, e fizeram verdadeira experiência de Deus, dando muitos frutos; Famílias restauradas, onde marido e esposa se reconciliaram, e voltaram a viver como uma só carne, um só coração e uma só alma. Filhos que, apesar de pequenos, fizeram a experiência do amor de Deus, e foram crescendo a partir dessa experiência. Esposos que desfizeram a vasectomia, deixaram o uso de contraceptivos e aderiram à vida, aos métodos naturais, a escolha por uma família numerosa, entre outros frutos.

Dentro do Carisma Amigos de Jesus, um carisma que serve às famílias, me vi diante de um chamado específico, uma nova etapa no caminho da vida consagrada, um chamado a um estado de vida (matrimônio ou celibato). Deus me chamava a viver uma vida celibatária. O mais belo nas comunidades como a Comunidade Amigos de Jesus, é poder contemplar um jardim com tantas variedades de rosas, rosas vermelhas e brancas (casais e celibatários).

       Desde quando entrei na Comunidade, percebia em mim, a vocação ao celibato, que foi sendo purificada, dia após dia. Me reconheci como Filho de Deus, Filho da Igreja, Filho do Carisma Amigos de Jesus e, agora, celibatário.

       No entanto, tinha uma pergunta que inquietava o meu coração: “sendo celibatário, como devo viver em um carisma para as famílias? ”. Infelizmente, nós cristãos ainda não conseguimos ver a beleza e a sacralidade da família na Igreja. Damos muito valor às demais vocações e valorizamos pouco a vocação do matrimônio.Não que a família tenha mais valor, mas, cada vocação revela de maneira própria um sinal do Reino dos Céus.

       Por um lado, a família é a expressão do amor de Deus, tanto ao vermos o amor entre os esposos (o amor entre Cristo e a Igreja), quanto o amor dos pais pelos filhos (o amor de Deus por nós), e isso é o sagrado na família. Por outro lado, o sacerdote e o celibatário, são a expressão do céu, nos lembrando que existe algo maior em nossas vidas, a união com Deus.Um se torna um luzeiro para o outro, diante do mar tempestuoso que é o mundo onde vivemos.

       Percebi essa verdade e essa sacralidade, e entendi que a minha vocação é ser um celibatário que serve às famílias. Isso foi libertador!Descobri ainda, que a minha missão pessoal éfecundar nos corações das famíliaso amor de Deus, é lutar, defender e sofrer pelas famílias, para mostrar ao mundo a sua dignidade. Assim, encontro na vida celibatária, a fecundidade da minha vocação. Vou mais além, dizendo com toda certeza do meu coração, que a paternidade espiritual acaba por habitar em mim através da força desse Carisma para as famílias.

       Gosto de trabalhar muito na evangelização das crianças e cada criança que conheço, faz brotar em mim um carinho tão especial por ela, que quando eu assusto, estou rezando por uma e outra. As crianças da Comunidade estão sempre em minhas orações, sinto uma verdadeira paternidade espiritual por cada uma delas.

       Nada me machuca mais do que ver uma família sendo destruída, ou uma criança que perde sua dignidade. Por isso, rezo por elas, rezo pelas famílias, a começar pela minha, pelas famílias da Comunidade e por aquelas que estão ao redor da Comunidade. Tenho a consciência dessa minha missão e luto para ser fiel a esse chamado pessoal que, creio, está gravado em mim.

       É evidente que cada celibatário tem a sua missão específica, cada um tem o seu chamado, a sua beleza dentro da Igreja, mas, quis compartilhar o meu sagrado com vocês para que possam perceber a importância da vocação ao celibato e a vocação ao matrimônio dentro da Igreja e que um acaba por servir ao outro. Hoje, entendo um pouco mais a minha vocação dentro desse carisma e por isso escrevo tudo isso, porque creio nisso.

       Muitos ainda não compreendem o significado do celibato na Igreja, e me perguntam, algumas vezes, “Porque você não entra no seminário e vira padre? ” - e continuam –“Qual a graça de ser celibatário? ”.  Não se trata de me tornar ou não sacerdote, mas,trata-se de um chamado de Deus para minha vida, um chamado específico: “Ser amigo de Jesus, um celibatário que serve às famílias”. O Celibato é um estado de vida maravilhoso que vive a continência consagrada, na simplicidade e na sacralidade do chamado de Deus ao homem diante do mundo.

       Neste mês de agosto, rezemos pelas vocações, rezemos pelos sacerdotes, pelos celibatários, pelas famílias e pelos religiosos. Cada chamado de Deus é um luzeiro que nos guia diante dos perigos do mundo, sejamos fiéis ao chamado de Deus para nossas vidas, lutemos para sermos de Deus.

 

Leandro Perpétuo

Comunidade Amigos de Jesus

Please reload

                  ARTIGOS                 

Matrimônio, Fruto da História da Salvação (Parte III)

May 6, 2019

1/4
Please reload

Please reload