O Espírito Santo e a Bíblia (Parte IV)

September 27, 2016

O ESPÍRITO SANTO, “ESPÍRITO DE JESUS”

O início da vida pública de Jesus

 

       A vida pública de Jesus se inicia com o seu Batismo. Como foi delineado anteriormente, Jesus já possuía o Espírito Santo e por isso não necessitava de ser batizado para recebe-lo. Muito menos ele precisava de um batismo de arrependimento. Por isso, o batismo de Jesus torna-se uma manifestação pública de sua divindade, ratificada por uma teofania através do Espírito Santo: Quando todo o povo ia sendo batizado, também Jesus o foi. E estando ele a orar, o céu se abriu e o Espírito Santo desceu sobre ele em forma corpórea, como uma pomba; e veio do céu uma voz: Tu és o meu Filho bem-amado; em ti ponho minha afeição.[1]

       Veja que não se trata de uma encenação pública, mas de uma manifestação pública. A Trindade Santa quer se expressar, quer manifestar o amor que nela contém. O Espírito Santo desce sobre Jesus, Deus Pai atesta que Jesus é seu Filho amado. São declarações de amor, afagos no ceio da Trindade. A encarnação de Jesus também é a encarnação do Espírito Santo e a encarnação de Deus Pai. Em uma linguagem coloquial, o Espírito Santo e o Pai estão dizendo: “Estamos com ele, estamos com Jesus, estamos juntos e nos amamos”.

         Agora Jesus está pronto para cumprir sua missão, o novo Moisés irá liderar o novo povo de Deus, mas antes terá que passar pela tentação do deserto: Cheio do Espírito Santo, voltou Jesus do Jordão e foi levado pelo Espírito ao deserto, onde foi tentado pelo demônio durante quarenta dias. Durante este tempo ele nada comeu e, terminados estes dias, teve fome.[2] Ele vai refazer a rota de Israel à Terra Prometida pelo deserto das tentações e as grandes águas da morte na cruz.  

       Jesus tem plena consciência de sua missão de servo de Deus, e também do tempo que ele representa, por isso ele entra na sinagoga de Nazaré em dia de Sábado e lê Isaías 61: O Espírito do Senhor está sobre mim, porque me ungiu; e enviou-me para anunciar a boa nova aos pobres, para sarar os contritos de coração, para anunciar aos cativos a redenção, aos cegos a restauração da vista, para pôr em liberdade os cativos, para publicar o ano da graça do Senhor.[3] Alguns versículos depois, ele vai dizer que naquele dia estava se cumprindo a profecia de Isaías. Isto seria possível porque ele possuía o Espírito do Senhor.

Fernando Emerick

Fundador da Com. Amigos de Jesus

 

>> Continue lendo: O Espírito Santo e a Bíblia (Parte V) <<

 

----------------

[1] Ibid. Lc 3, 21-22.

[2] Ibid. Lc 4,1-2.

[3] Ibid. Lc 4, 18-19.

Please reload

                  ARTIGOS                 

Matrimônio, Fruto da História da Salvação (Parte III)

May 6, 2019

1/4
Please reload

Please reload