Testemunho de Consagração Celibatária

January 29, 2016

       Nesta vida, temos muitas possibilidades de caminhos a seguir. Dentre tantos, existe aquele caminho que Deus sonhou, desde o princípio, para cada ser humano. Sabendo dessa verdade, me decidi por “correr atrás” desse caminho que Ele queria que eu trilhasse, pois, eu sabia que ali estava reservado o melhor para mim.

       Iniciei a busca pelo meu caminho pessoal sonhado por Jesus Cristo aos 17 anos. Comecei sem saber por onde começar, andei por muitos caminhos para chegar onde cheguei e encontrar o que encontrei. Esse caminho, normalmente, é um caminho cheio de surpresas, de questionamentos, dúvidas, anseios e até medos, mas, ao mesmo tempo, um caminho de descobertas, respostas, alegrias e realizações.

       Umas das primeiras coisas que ouvi de Jesus, durante a minha incessante busca foi: “Calma, a sua vocação está gravada na palma da minha mão”. Deus colocou um alguém no meu caminho que foi a voz Dele mesmo a dizer isso, para que o meu coração se aquietasse um pouco, e aguardasse o tempo em que Ele me revelaria Sua vontade para minha vida.

       Os anos foram passando. Eu e Jesus íamos, juntos, escrevendo minha história. Ele chamando e eu respondendo. As minhas respostas vinham repletas de incertezas muitas vezes, mas, eu me enchia de coragem e quando menos esperassem, estava eu lá, deixando que Deus, mais e mais vezes, conduzisse meus passos. Costumava dizer pra Jesus em minhas orações: “Se eu errar o caminho, puxa meu tapete para eu saber que não estou indo bem”.

       Desde o início de minha juventude, sempre fui uma pessoa com círculos de pessoas grandes com quem convivia. Estando eu cercada por tantas pessoas, Jesus me tomou para Ele e se apresentou como meu único e melhor amigo. Primeiro passo decisivo no caminho que eu buscava: entrei para a Comunidade Amigos de Jesus para segui-Lo mais de perto e conhecer melhor esse grande Amigo. Consagrei-me definitivamente ao Carisma da Comunidade após 07 anos de vida comunitária e fui aprendendo, ao longo desses anos, a me tornar mais amiga de Jesus e doar a minha vida por todos aqueles que o Senhor confiasse a nós da Comunidade.

       A página do evangelho que rege nossa vida comunitária diz que: “Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a vida pelo amigo (Jo 15, 13) ”. Quando eu comecei minha busca pela vontade de Deus em minha vida, não imaginava de que maneira eu iria dar a vida. Nunca pensei que a minha vida seria o que ela é hoje. Somente me lancei e fui desvendando esse mistério de amor, que me chamava a dar a vida pelo Amigo.

       Em nossa Comunidade há dois estados de vida: casais e celibatários. Como a maioria das jovens como eu, sempre pensei em encontrar um esposo. Pensava em encontrar alguém que se lançasse na vida missionária junto comigo. Porém, o que eu não podia imaginar, é que esse alguém já estava junto a mim, e era o próprio Cristo. A vida consagrada é um constante convite a dar de si ao outro, e a última coisa que Deus me pediu, até então, foi para que eu fosse sua esposa.

       Descobrir que o meu lugar era na Comunidade Amigos de Jesus não aconteceu facilmente, do “dia pra noite”, tive que percorrer dúvidas e indecisões; assim, também, descobrir que Jesus me queria como sua esposa, não foi algo fácil. Passei por um caminho de leitura da minha história de vida e fui percebendo sinais de que era essa a vontade Dele para mim. Em minhas orações, ia pedindo a Ele que falasse comigo, que confirmasse que o meu estado de vida não era o matrimônio, como eu sempre pensei. Como um bom esposo, Ele não me deixou sem respostas.

       Comecei a trilhar, então, um novo caminho, dentro do caminho que eu já estava. Descobri a beleza da vocação celibatária e ouvi, claramente, a voz de Deus que me escolhia como alguém que seria totalmente livre para dar a vida pelo Reino dos Céus. Esse chamado antecipa aquilo que todos nós viveremos no céu: uma plena e eterna Aliança com Cristo! Enquanto partes do corpo de Cristo enquanto Igreja, seremos todos a Esposa de Cristo!

       Não sei o porquê de Deus ter me escolhido para ser sua esposa. Não me sinto digna desse chamado, mas, é Ele quem chama, cabe a mim somente responder. E minha resposta, com alegria, foi SIM! Mais um sim cheio de surpresas, pois, não consigo imaginar o que Deus me reserva pela frente. Sei que Deus encheu meu coração da vontade de continuar testemunhando que “o Reino de Deus e a sua justiça são aquela pérola preciosa que é preferida a qualquer outro valor, mesmo que seja grande, e, mais ainda, é procurada como o único valor definitivo (Familiaris Consortio, 16) ”. Essa é a grande missão da vida celibatária!

       Minha consagração celibatária será no dia 02 de Fevereiro de 2016. Hoje sou livre para amar, não somente uma pessoa, e sim, a todos que o Senhor me confiar; especialmente, às famílias que sou chamada a amar e servir por meio do Carisma da Comunidade Amigos de Jesus. “Quem encontrou um amigo, encontrou um tesouro (Eclo 6, 14). E eu muito me alegro por ter encontrado em Jesus esse Amigo, esse Tesouro e o meu esposo.

 

Luciana Bitencourt

Comunidade Amigos de Jesus

Please reload

                  ARTIGOS                 

Matrimônio, Fruto da História da Salvação (Parte III)

May 6, 2019

1/4
Please reload

Please reload