Mês de Dezembro da Missão Terra Santa

O mês de dezembro de 2016 da Missão Terra Santa foi muito especial! Posso dizer que vivi intensamente todo esse tempo do advento, desde a virada do ano novo litúrgico até o Natal do Senhor.

A virada do ano novo litúrgico no ano de 2016 foi do dia 26 para o dia 27 de novembro. Nessa data, a comunidade cristã local se reuniu na Basílica da Natividade, em Belém, para celebrar essa importante data litúrgica. No sábado, dia 26 de novembro, acolhemos o Custódio da Terra Santa, Frei Francisco Patton, na cidade de Belém. Celebramos, também, a oração das Vésperas, o Oficio Divino da Liturgia das Horas e a tradicional procissão à Gruta da Natividade. Após esse momento, nos reunimos no salão do convento franciscano, para uma pequena confraternização e felicitação pelo ano novo litúrgico que se iniciava. Ainda no mesmo dia, entrei em contato com a Comunidade, via Skype, e pude celebrar a virada do ano com eles também. Na Comunidade Amigos de Jesus, nós sempre nos reunimos para celebrar a virada do ano novo litúrgico juntos, inclusive, nessa mesma data, apresentamos nosso pedido de renovação dos compromissos ao carisma por mais um ano até a consagração perpétua.

No domingo, primeiro domingo do Advento, participei da Santa Missa na Basílica da Natividade e após a Missa, todos os fiéis se reuniram na praça em frente a Basílica, para festejar o ano novo litúrgico com apresentações musicais e danças. Algo interessante foi que a virada do ano civil 2016/2017, para mim, não foi tão festivo como, normalmente, acontece no Brasil, o que acentuou a festividade da Virada do Ano Novo Litúrgico.

A cada semana do advento havia uma cerimônia na praça de Belém. Na primeira semana, as festividades aos pés da árvore de Natal, na segunda semana todos se reuniam para acender as luzes da árvore, depois montavam o presépio, e na semana que antecedia o Natal, toda a cidade já estava com aquela expectativa para celebrar o nascimento de Jesus.

No dia 24 de dezembro voltei a Belém. A cidade estava em festa, literalmente. Dessa vez, todos acolhiam o Dom Pierbattista Pizzaballa, administrador diocesano do Patriarcado Latino. Diversos grupos de escoteiros acolhiam o bispo Pizzaballa com tambores, gaitas-de-foles ao som de melodias natalinas. Milhares de pessoas celebravam o Natal em Belém.

À noite, participei da missa de Vigília de Natal na Basílica da Natividade. Para participar da missa precisava de convites especiais, pois, a Basílica não comportava tanta gente. Grande parte das pessoas assistiam pelo telão na praça da Basílica. Eu cheguei duas horas antes da missa e a Igreja já estava muito cheia. Para mim essa vigília foi muito especial e um detalhe marcou toda a cerimônia. Antes de cantarmos o glória, havia um hino próprio da liturgia realizada na Basílica da Natividade, que contava toda a história da salvação, desde a criação, passando por Adão, os patriarcas, Moisés, a conquista da Terra Prometida até chegar em Jesus. Depois, o hino situava o contexto histórico da Terra Prometida, passando pelo império helenístico, o império romano até César Augusto e finalizava dizendo que diante de todo esse contexto, AQUI, em Belém, de Maria Virgem nasceu nosso Salvador, Jesus Cristo, Deus feito homem. Depois disso, todos cantam o Glória e os sinos começam a tocar. Para mim, esse momento foi muito presente e forte. No domingo de Natal, fui à Missa na Basílica e antes pude rezar na gruta da Natividade. Voltei para casa, como os pastores, dando glória a Deus, por essa graça que ele me concedeu.

Durante a oitava de Natal, eu voltei a Belém e pude rezar na gruta da Natividade por uma hora, o que foi um grande presente de Deus, porque durante esse período não havia tantos peregrinos. Depois fui rezar também nos outros santuários de Belém: a Gruta do Leite e o campo dos Pastores; o que não consegui fazer durante o dia 25 de dezembro.

A cada Natal renovamos nossas vidas, nossas vocações, pois o mistério da encarnação é atualizado em nosso coração. Que esse novo ano que se inicia possa ser mesmo um ano consagrado ao Senhor, que nós possamos a cada dia nos entregar nas mãos de Deus, para que ele realize, em nós, a sua vontade. “O Verbo se fez carne... E HABITOU ENTRE NÓS!”


Leandro Perpétuo

Com. Amigos de Jesus

Missão Terra Santa

                  ARTIGOS