O Anúncio da Ressurreição

April 17, 2017

       O Senhor Ressuscitou! Aleluia! Aleluia! Essa exclamação porta em si, não somente simples palavras, mas, porta um anúncio; e não somente um anúncio, mas, um anúncio de alguém que fez a experiência com o Ressuscitado.

       Recentemente, vivi uma experiência com a Ressurreição. Dia 22 de março, a edícula do Santo Sepulcro foi reinaugurada, o trabalho de restauração já estava concluído. Então, como nesse dia haveria muita gente na Basílica, no dia anterior eu fui ver como havia ficado a restauração. Era 5 horas da tarde. Quando cheguei em frente o sepulcro, o meu coração começou a bater mais forte. Estava muito lindo! Na minha cabeça só uma frase se fazia presente: “O Senhor Ressuscitou! Aleluia! Aleluia! ”. Nunca senti uma certeza tão grande da Ressurreição de Cristo.

Como eu havia presenciado o Santo Sepulcro antes e durante à restauração, e agora depois da conclusão das obras, quando eu vi os resultados, senti algo muito forte dentro de mim, como se eu pudesse contemplar a luz de Cristo Ressuscitado presente ali no sepulcro vazio. Essa foi uma das experiências mais profundas que vivi nesses sete meses que estou aqui. Lógico que vivi muitas outras fortes experiências, mas, essa foi muito marcante.

       Depois que saí da Basílica, meus olhos já estavam cheios de lágrimas, e eu pelas ruas lotadas de Jerusalém, segurando essas lágrimas de alegria. Eu só sabia agradecer a Deus por viver essa graça. Subi o Monte das Oliveiras com tanta alegria e com tanta pressa (aliás, nem sei o porquê de tanta pressa), porém sem nenhum cansaço. Já no topo do monte, onde não havia mais ninguém, pude parar, olhar para Jerusalém, e me alegrar com o que havia acabado de acontecer. Sentia uma vontade imensa de anunciar Cristo ressuscitado. Contando assim, parece um pouco esquisito, mas, foi muito marcante.

Às vezes, voltamos mais o nosso olhar para Cristo presente na sua morte e crucificação e esquecemos de Cristo e do seu anúncio presente no evento da Ressurreição. Vale dizer que a morte e a ressurreição de Cristo estão intrinsecamente unidas, sem a paixão e a morte de Cristo Crucificado, a Ressurreição não pode nem mesmo existir, e se Jesus não ressuscitou é vã a nossa fé, como diz São Paulo. Mas, aqui quero voltar o olhar para o mistério da Ressurreição.

       Para aprofundarmos sobre o conteúdo desse anúncio de Cristo Ressuscitado, é necessário unir todos as passagens do Novo Testamento que tratam da Ressurreição e visualizar em um único esquema, o conteúdo desses momentos que antecedem o anúncio.

       O primeiro testemunho da Ressurreição é o sepulcro vazio. Porém, ver o sepulcro vazio, aparentemente não significa nada, somente podemos concluir que Jesus não está ali. Como concluíram todos aqueles que viram tal sepulcro. No entanto, mesmo pensando desse modo, o sepulcro vazio, possibilita uma abertura do coração e da mente, eis o nosso primeiro momento que antecede o anúncio, pois, nesse caso, nos permite pensar da seguinte maneira: “se o corpo não está aqui, onde está? ”.

No momento da crucificação, os discípulos haviam abandonado Jesus e, depois de sua morte, já não havia esperança. Basta ver o testemunho dos discípulos de Emaús, que voltavam para suas casas e suas vidas antigas. Porém, esse sepulcro vazio representa uma “luz no fim do túnel”, algo que nos possibilita estarmos abertos para o que virá depois.

       O segundo passo, está na iniciativa de Deus em vir ao nosso encontro. O sepulcro vazio já abriu o nosso coração, já despertou nossa esperança, ou pelo menos nossa curiosidade, então, Jesus vem ao nosso encontro. Já percebeu que na maioria das vezes em que parece estarmos quase sem esperança, sentimos uma voz que nos guia por meio de simples momentos ou palavras que ouvimos, ou também por meio dos sacramentos ou algum versículo bíblico.

       A iniciativa de Cristo é sempre uma graça de Deus, porém, muitas vezes não reconhecemos essa iniciativa. Então, entramos no terceiro momento da experiência com Cristo, o reconhecimento. Quando reconhecemos que é Cristo que fala conosco, que está no meio de nós, o nosso coração se enche de alegria, por mais que suas palavras sejam duras, por exemplo, quando Jesus exortou Tomé quanto à sua incredulidade. A alegria de contemplarmos essa luz, nos leva a reconhecer Cristo como nosso caminho, nossa verdade e nossa vida.

       Muitos param nesse terceiro momento. No entanto, depois do reconhecimento vem a missão de anunciar. Anunciar tudo que experimentamos, anunciar o Cristo crucificado, mas também, ressuscitado. Esse anúncio, nem sempre porta consigo palavras, mas, sobretudo, testemunho de vida.        O verdadeiro anúncio do cristão está no seu testemunho, na sua constante vida de oração e relacionamento de amizade com Cristo, que não permite que essa luz se apague, pelo contrário, permite que cresça sempre mais, ao ponto de ser verdadeiro farol na tempestade em que o mundo se encontra nos dias de hoje.

       Depois da Ressurreição, de ver o sepulcro vazio, da iniciativa de Deus em ir ao encontro dos seus discípulos, depois que os seus amigos o reconheceram como Cristo, Senhor e mestre de suas vidas, Jesus os envia a anunciar. E eles o anunciam de diversas formas, com palavras, com testemunhos, com amor, fidelidade e esperança. Nasce a Igreja, verdadeiro anúncio de Cristo no mundo.

       Olhando para os quatro momentos apresentados acima, posso dizer que tive a minha fé e a minha consagração a Deus renovada, e peço, sinceramente, a Cristo Ressuscitado que vocês, também, façam uma nova experiência com a Páscoa de Nosso Senhor, que do sofrimento da cruz e da morte, ressuscite um novo homem em Cristo, impulsionado a anunciar e testemunhar esse mesmo Cristo no mundo, porque meus irmãos: “Cristo Ressuscitou! Ele, verdadeiramente, Ressuscitou! Aleluia! Aleluia!

Leandro Perpétuo

Com. Amigos de Jesus

Missão Terra Santa

Please reload

                  ARTIGOS                 

Matrimônio, Fruto da História da Salvação (Parte III)

May 6, 2019

1/4
Please reload

Please reload