Você conhece Maria?


Algum dia você questionou sobre o culto à Maria? Será que podemos nos dirigir à Maria através de orações? É correto ser devoto dela? Será que ofendo à Jesus, honrando-a? Talvez você já tenha feito algum dos questionamentos acima, talvez outros já os fizeram a você. Você foi seguro de sua resposta? Está certo de qual deve ser sua postura em relação à Maria?

Meu ano de 2004 foi marcado pelas perguntas acima, estava sofrendo muitas influências no trabalho, na família e no meu círculo de amigos, de pessoas que colocavam em questão a devoção à Maria. Apesar de ter sido educada na fé da Igreja Católica desde criança, e sempre ter escutado que Maria era a Mãe de Jesus e que devíamos amá-La como tal e também como nossa mãe, naquele momento da minha vida comecei a questionar se eu não ofendia à Jesus dirigindo minhas orações à Maria.

Resolvi, então, 1 dia antes do meu aniversário, neste mesmo ano, fazer a seguinte oração: “Jesus, se honrando a Maria eu também honro ao Senhor, me conceda então, uma experiência com Sua Mãe que marque profundamente a minha vida e que eu nunca mais questione a minha fé. Não desejo receber nenhum presente e não faço questão de nenhuma visita (na época gostava muito de comemorar meu aniversário), esse é o único presente de aniversário que peço ao Senhor.” Foi um pedido muito sincero que fiz à Jesus e estava ansiosa em saber se Ele havia me escutado. Grande foi a minha surpresa no outro dia. Não recebi apenas um presente, mas vários, e todos eles faziam menção à Maria, todos, sem exceção: camisas, terços, imagens, livros... mesmo as pessoas que não “eram da Igreja” me deram presentes marianos naquele ano.

Um dos livros que ganhei tinha como título “Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem Maria”, de São Luís Maria Grignion de Montfort. Era o que eu precisava saber: qual era a verdadeira devoção que devíamos ter para com Maria. Este livro foi um divisor de águas em minha vida. A amiga (hoje irmã de Comunidade) que me presenteou com o livro não tinha dimensão do que ele faria em minha vida!

Já nas primeiras páginas encontrei um testemunho de São João Paulo II que dizia “Eu já estava convencido de que Maria nos conduz a Cristo, mas, naquele período comecei a compreender que também Cristo nos conduz à Maria. Foi um momento no qual estava em discussão o meu culto por Maria, que, restringindo, ou dilatando-se excessivamente, acabasse por comprometer a supremacia do culto devido a Cristo. Vem-me agora em ajuda o livro de São Luís Maria Grignion (...). Nele encontrei a resposta às minhas perplexidades... O autor é um teólogo de classe.” (grifo nosso). Foi realmente o que eu tinha experimentado através daquela oração: tinha sido Jesus quem tinha me conduzido à Maria, minha oração tinha sido dirigida ao Senhor. Cristo me mostrou Maria. São João Paulo II também abraçou Maria como Mãe e teve como lema de seu Pontificado “Totus Tuus”, que significa “Todo Teu”, todo de Maria!

No final, o livro nos faz a proposta de renovar a Consagração Batismal pelas mãos de Maria, e foi isto o que fiz. Desde então, Nossa Senhora cuidou de tirar da minha vida tudo o que não me levava ao Seu Filho Jesus, e se encarregou também de colocar tudo o que me aproximava Dele, e foi assim, neste mesmo ano, que conheci a Comunidade Amigos de Jesus, da qual faço parte, e que tem me formado a cada dia no caminho da amizade com Cristo. Foi Maria, também, quem trouxe meu esposo para a Comunidade e nós dois caminhamos juntos para uma consagração definitiva ao Carisma: desejamos ser uma família toda consagrada à Deus. Minha vida hoje tem mais sentido! Que grandes presentes Maria me deu!

Eu não sei qual a sua relação com Maria: se já é forte, peça à Ela que o ajude a ser ainda mais de Deus, que Ela mostre a você quais são os sonhos do Seu Filho para a sua vida, pois, quando nos encontramos na vontade do Senhor, somos mais felizes; mas, se você ainda não a conhece, peça à Ela uma experiência, sei que Maria não vai deixar de te escutar! E sei que será uma experiência que marcará a sua vida, assim como um dia marcou a minha.

Estamos no Ano Mariano, o Brasil comemora 300 anos da Aparição da imagem de Nossa Senhora Aparecida, não deixemos de fazer uma (ou mais uma) experiência com a Mãe de Deus.

Dentre muitos trechos do livro de São Luís que me chamaram a atenção, um em especial me marcou: “Quando o Espírito Santo, seu Esposo, encontra Maria numa alma, voa para ela, entra nela com plenitude e comunica-se-lhe tanto mais abundantemente quanto maior lugar esta alma dá à sua Esposa.” Se queremos ser cheios do Espírito Santo, devemos nos encher de Maria!

Maria é uma mãe terna e simples, mas, que tem um coração largo para o amor, para nos amar. Não cansa de interceder por nós, Ela é inteira nossa! Sejamos também nós Totus Tuus, todos Dela, e assim seremos mais “do” e “para” o Senhor! Como afirma São Luís: Maria é um caminho fácil, curto, perfeito e seguro até Jesus!

Que Maria, Mãe de Deus e nossa, rogue por nós e por nossas famílias.

Shirley Siqueira Leal

Com. Amigos de Jesus

                  ARTIGOS