Mês de Maio da Missão Terra Santa

June 1, 2017

       Neste artigo, referente ao mês de maio, da Missão Terra Santa, poderei compartilhar com vocês um pouco sobre a minha experiência de viver o Tempo Pascal aqui na Terra Santa, e mais especificamente, em Jerusalém.

       Antes de começar a partilhar sobre este mês, preciso voltar nos últimos dias de abril, onde pude acompanhar o nosso grupo da Amigos de Jesus Peregrinações que peregrinou aqui na Terra Santa. Foi, realmente, uma grande alegria estar com o grupo e conhecer cada peregrino. Devo confessar que me senti um pouco como anfitrião do grupo, especialmente no momento da chegada no aeroporto e no último dia de peregrinação aqui na Terra Santa, devido àquela sensação de despedir de um grupo que retornava ao Brasil, enquanto eu continuarei vivendo aqui.

        Com a vinda do grupo de peregrinos, pude encontrar com a Deisiele, membro da Comunidade Amigos de Jesus, e “matar a saudade” não somente dela, mas, do Carisma Amigos de Jesus. Pudemos rezar juntos na Basílica da Natividade em Belém, rezar por nós e pelo Carisma, e isso foi muito importante para mim.

       No dia 03 de maio, o grupo seguiu para Roma, e eu voltei à minha vida normal, se é que posso chamar de “normal” viver aqui na Terra Santa. Graças a Deus, até hoje, eu não me “acostumei” com o fato de viver aqui, pelo contrário, a cada dia Deus suscita algo novo em mim, por meio de detalhes do meu cotidiano, e isso é muito lindo.

       Cada domingo do Tempo Pascal pude celebrar com a Igreja de Jerusalém aquele ensinamento de Cristo proclamado na liturgia. Desde o Domingo da Misericórdia até a Ascensão do Senhor, participei das celebrações em lugares diferentes, e também, muito marcantes. O simples fato de permanecer em Jerusalém até o Pentecostes faz daquela mensagem pascal anunciada, uma realidade muito mais próxima e viva em nossos corações.

       Escrevo este artigo no dia da Ascenção, dia 25 de maio. Em muitos países, o dia da Ascensão do Senhor é transferido para o Domingo por se tratar de uma festa de preceito, ou seja, um dia consagrado ao Senhor no qual todo cristão deve participar da Liturgia Eucarística como fazemos todo domingo. Na Terra Santa, porém, esse dia não vem transferido, permanecendo na quinta-feira da sexta semana do Tempo Pascal, ou seja, no 40º dia depois da Ressurreição.

       Ontem, nos reunimos na capela da Ascensão do Senhor para celebrarmos a primeira Véspera da Ascensão. Este ano, como partilhei no artigo referente ao mês de abril da Missão Terra Santa, todas as Comunidades Cristãs de Jerusalém celebraram a Páscoa no mesmo dia, e consequentemente, a festa da Ascensão também. Católicos Romanos, Ortodoxos Gregos, Coptas, Sírios e Armênios se reuniram no Monte das Oliveiras e a festa da Ascensão foi celebrada de um modo muito especial. Todos os cristãos juntos, com os olhos voltados para os céus, onde o “Senhor está sentado à direita do Pai”.

       Como sempre venho partilhando com vocês, participar da liturgia aqui na Terra Santa, não se trata somente de estar naquele local santo, mas, é fazer uma experiência única na história, onde aquilo que é celebrado, se faz presente também na realidade daquele dia e, de modo muito especial, no coração das pessoas que ali se encontram.

       Neste mesmo dia, celebramos a vigília da Ascensão do Senhor. Durante a vigília rezamos o Oficio das Leituras, e em seguida, a cada 40 minutos, grupos de diversas nacionalidades celebraram a Santa Missa, cada um em seu respectivo um idioma.

       Essa é a segunda vez que participo da festa da Ascensão do Senhor aqui na Terra Santa, mas, acreditem, cada celebração é muito singular. Saí da celebração com o coração cheio de esperança, porque daqui há 10 dias celebraremos o Pentecostes, onde o Senhor nos encherá com o seu Espírito Santo.

Leandro Perpétuo

Com. Amigos de Jesus

Missão Terra Santa

Please reload

                  ARTIGOS                 

Matrimônio, Fruto da História da Salvação (Parte III)

May 6, 2019

1/4
Please reload

Please reload