Vontade de Deus, fonte de paz e alegria



Neste mês vocacional, somos convidados a refletir sobre o nosso chamado pessoal, ou seja, porquê e para que o Senhor nos chamou. Sempre gosto de dizer que encontrar a resposta de Deus a nosso respeito faz-se urgente e necessário para que possamos encontrar paz interior e dar sentido a nossa existência. Na nossa vida existem alguns questionamentos que precisam de resposta, como: O que Deus quer de mim? Qual a minha vocação pessoal? Qual o meu lugar na Igreja? Tais questionamentos sempre me acompanharam, e confesso que as respostas não chegaram prontas e não tão rápidas como eu desejava. Muitas vezes disse ao Senhor: “Como dei voltas para chegar até aqui! Quantas vezes o Senhor me falou a mesma coisa e não compreendi! Será que eu não poderia ter feito um caminho mais curto”?

Mas, na verdade, Deus é muito pedagógico e trabalha as nossas vidas levando em conta as nossas fragilidades humanas, medos, limitações e anseios. Quando olho para a minha história de vida, percebo que o Senhor sempre esteve a falar comigo através dos pequenos sinais do cotidiano. Vejo que minha história mais se parece com um quebra-cabeça no qual tudo foi se encaixando e fazendo sentido, dia após dia, formando uma bela obra de arte.

Fazer uma releitura da própria vida nos ajuda a compreender que nada que vivemos em nossa história foi em vão ou por acaso. Desde o nosso nascimento, Deus nos prepara para que um dia possamos dar uma resposta generosa ao seu chamado. Hoje ao ver me casada, mãe de oito filhos e consagrada à Comunidade Amigos de Jesus, sou extremamente grata a Deus pela forma que ele conduziu toda a minha história. Não me vejo sendo outra coisa do que hoje sou, encontrei a minha paz e a minha alegria nesse chamado de Deus.

Muitas vezes sou questionada: Como vou saber que estou fazendo a vontade de Deus? Como vou saber se encontrei a minha vocação? Deus é muito simples, por isso, também não precisamos complicar a nossa vida. Os sinais indicadores que estamos fazendo a vontade de Deus são: a paz e a alegria. E não é justamente isso que buscamos por toda a vida? Sendo assim também na sua história, tudo passa a ter sentido quando a vontade de Deus se torna uma realidade, quando ele assume o comando de tudo, habitando o centro do seu coração, sendo assim o seu Senhor. Abandonarmos a nossa existência nas mãos de Deus é o primeiro passo para fazer a sua vontade.

Não tenho dúvida que a melhor opção que podemos fazer na vida é optar pela vontade de Deus. Para isso faz-se urgente compreender qual é a sua vontade. Caso contrário, correremos o risco de passar a vida inteira discernindo a própria vocação, tornando-nos com isso eternos vocacionados. Cada um segundo o seu estado de vida tem o chamado a corresponder ao plano amoroso e misericordioso do Senhor. Mesmo quando não somos capazes de compreender na totalidade o que Ele quer de nós, o importante é deixar os medos e confiar plenamente nele.

Que neste mês vocacional o Senhor nos ajude a escutar a sua voz, para que ao compreendermos a sua vontade possamos ofertar aquilo que temos de melhor para ele que é a nossa própria vida. Peçamos a graça do Espírito Santo sobre nós para que sejamos sensíveis aos sinais da nossa história e possamos dar uma resposta concreta ao seu chamado.


“É sempre um risco responder ao chamado de Deus.

Deus, porém, merece esse risco”. (Sta Edith Stein)

Kelly Emerick

Fundadora da Com. Amigos de Jesus

                  ARTIGOS