O desafio na evangelização dos jovens

Em 2014 e 2015, ocorreram dois grandes momentos sinodais, que debateram temas da família e do matrimônio que hoje a sociedade está vivendo. Em continuidade, o Santo Papa, convocou um novo Sínodo dos Bispos para o ano de 2018, esse voltado para a juventude, com o tema: “Os jovens, a fé e o discernimento vocacional”. A finalidade é acompanhar os jovens no seu caminho existencial rumo à maturidade, para que, através de um processo de discernimento, possam descobrir o seu projeto de vida e realizá-lo com alegria, abrindo-se ao encontro com Deus e com os homens, participando ativamente da edificação da Igreja e da sociedade.

Eu no papel de jovem, católica, missionária, acho de grande importância este tempo para se questionar, analisar e perceber o que podemos fazer, para entender e ajudar os jovens a descobrirem e se decidirem por Jesus. São João Paulo II disse certa vez: “Como são diferentes os jovens de hoje em relação aos de vinte anos atrás! Como mudou o contexto cultural e social no qual vivemos! Mas Cristo não, Ele não mudou! Ele é o Redentor do homem ontem, hoje e sempre!”.

Jovens têm a necessidade de estar com jovens, e não querem “fazer coisa de criança”, mas, vivem uma crise, pois, também não querem “fazer coisa de adulto”. Com uma energia e uma vontade de fazer e servir, o jovem vai descobrindo o que lhe é apresentado; se são inseridos em locais frutuosos, com influências boas e conteúdos edificantes, certamente se tornarão pessoas boas. Da mesma forma acontece o contrário, quando lhes é mostrado um caminho errado, com prazeres momentâneos, isso lhe atrai e muitas vezes o vence.

Eu escrevo hoje isso, pensando em mim, quantas vezes na própria Igreja, procurei um grupo de jovens e não tinha, ia contrariada e obrigada por minha mãe a ir a encontro “de velhos”, que na verdade eram encontros profundos, que devem ter sido ótimos, mas, por estar com o coração fechado, não deixava Jesus agir. Não encontrava um local onde pudesse ser jovem e cristã ao mesmo tempo.

Então, como podemos evangelizar os jovens? Como inserir na Igreja os jovens que vivem “antenados” na tecnologia, com amigos virtuais e cada vez mais individualistas? Posso dizer que esse é um desafio de todos nós, jovens, pais, professores, catequistas, etc.

Em nossa comunidade trabalhamos muito com casais, então, é normal, em cada encontro ou formação, providenciarmos um espaço de evangelização também para as crianças. Mas, nossas crianças estão crescendo e os maiores já estavam sentindo-se deslocados na salinha de crianças. Com essa realidade, criamos um dia somente para eles, agora todas as terças-feiras, temos a sala jovem, que inicialmente contava somente com os filhos dos membros da Comunidade e agora é aberta para todos os “jovens” maiores de 10 anos. Nossa turminha está crescendo e com a graça do Espírito Santo, tenho tentado passar para eles nossa fé e doutrina de uma forma divertida e dinâmica. Posso dizer, que é um desafio a cada dia, mas, já escuto os pequenos frutos, contados pelas mães.

Na Comunidade Amigos de Jesus encontramos essa nova forma de lidar com os adolescentes e jovens, mas, é papel de todos nós cristãos católicos, acolhermos, orientarmos e principalmente sermos testemunhas para eles que, em pouco tempo, serão as lideranças, padres, missionários, pais e mães de famílias ao nosso redor. Que iluminados pelo Espírito Santo, possamos fazer fiéis jovens amigos de Jesus!

Priscila Tuany

Comunidade Amigos de Jesus

                  ARTIGOS