Aniversário de 14 anos de Fundação da Comunidade Amigos de Jesus

July 17, 2018

 

        Neste mês de julho, celebramos o aniversário de 14 anos da Comunidade Católica Amigos de Jesus. É com muita alegria que, partilho com todos os irmãos o prazer que de ser parte dessa grande família. Celebrar esse dia, remete-me a pensar na página do evangelho que Deus deu a essa Comunidade e que está em Jo 15,12-17.  Sabemos que a Palavra de Deus é fonte e princípio de todo o bem. É a Palavra que tem sustentado nossas vocações durante todos esses anos. Não é possível reconhecer o nosso chamado, a sermos bons amigos de Jesus, se não houver pleno cumprimento desse evangelho em nossas vidas.

“Este é o meu mandamento: amai-vos uns aos outros como eu vos amei” (Jo 15, 12). Vejo que o único vínculo capaz de tornar um grupo de pessoas unidas é o amor. Porque o amor é uma via de mão dupla; não podemos dar amor, se não o recebemos.  Mas, como é possível amar alguém que não faz parte do nosso vínculo familiar? Como amar pessoas que entraram em nossas vidas sem que o tenhamos escolhido?

       Em todos esses anos tenho visto as maravilhas que o Senhor tem realizado em nosso meio. Tenho aprendido a amar os meus irmãos do jeito que eles são, com suas qualidades e defeitos, virtudes e imperfeições. Tenho apreciado o que o Senhor tem realizado em cada família dessa Comunidade. Temos crescido juntos, uns ajudando aos outros a sermos melhores.

Sabemos que, se amamos o irmão, não é por nós mesmos, amamos porque Jesus nos amou por primeiro e deu a sua vida por nós. Nessa experiência de ser amado por Jesus, também conseguimos amar o nosso próximo e dar a vida por ele. Por isso, ele nos manda amar no seu amor e como ele nos ama: “Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a sua vida por seus amigos” (Jo 15, 13). Ele já nos ensinou o modo de amar quando deu a própria vida por nós, sem pedir nada em troca, nem mesmo avaliar se merecemos. É, justamente, com essa grandeza de coração que somos chamados a amar os nossos irmãos e gastar a nossa própria vida por eles.

       Louvo a Deus por esse chamado porque é nesse carisma que tenho aprendido, dia após dia, a dar a vida pelos meus amigos. Mas, quem é esse amigo? Todos os que me rodeiam, os membros da minha Comunidade, as pessoas da minha família e todos aqueles que, diariamente, passam pela minha vida. E no que consiste em dar a vida? É fazer o que Jesus fez por nós. Quanto mais eu deixo de agradar a mim mesma, para fazer o outro feliz, mais eu me configuro com a pessoa de Jesus.

Mas, não seria esse chamado exigente demais? Afinal, é o próprio Jesus que afirma que a condição para ser amigo dele passa pela obediência. “Vós sereis meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando” (Jo 15, 14). Talvez essa necessidade de obedecer já tenha afastado muitos daqueles que tiveram medo de perder a liberdade vivendo em Comunidade.  Entendo que essa obediência purifica os nossos corações e as nossas vontades. Posso testemunhar que todas as vezes que tive as minhas vontades contrariadas, mais experimentei o querer de Deus em minha vida. O fato é que, fazer o que Jesus nos manda é a total garantia de andar no caminho certo. Se existe um amigo que só dá bons conselhos, esse amigo é Jesus!

       Santa Teresa de Jesus afirma que quanto mais convivemos com o amigo, mais nos tornamos parecidos com ele. Segundo ela: “A amizade com Deus e a amizade com os outros é a mesma coisa, não podemos separar uma da outra.” A relação que Jesus quer ter conosco é um relacionamento de amizade. “Eu não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o seu Senhor, vos chamo amigos porque vos dei a conhecer tudo o que ouvi de meu Pai” (Jo 15,15).

       De fato, somos imensamente privilegiados porque Jesus quis que fôssemos uma Comunidade fundada na sua amizade. Não se trata de um grupo de pessoas que se reúnem apenas para rezar ou planejar missões. A cada dia, procuramos estreitar os nossos laços de amizade com o irmão e com o próprio Senhor. O que nos faz aprofundar nessa amizade é a Oração; e é a oração que nos permite conhecer a vontade do Senhor. Isso é fantástico, porque não há segredos entre os amigos e é assim que Jesus se relaciona conosco, de coração para coração!

       Talvez alguém possa pensar: Não seria atrevimento demais escolhermos viver com Jesus em um relacionamento de amizade, já que somos tão pecadores?  Mas, para que não duvidemos dessa vocação, Ele mesmo disse: “Não fostes vós que me escolheste, mas, fui eu que vos escolhi para que vades e produzais fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo o que pedirdes ao Pai em meu nome ele vos conceda” (Jo 15, 16). Entendemos que Jesus tomou a iniciativa de nos escolher e de nos atrair a Ele. Portanto, resta-nos confiar nesse chamado e dar uma resposta generosa às expectativas de Jesus a nosso respeito.

       Diante de tão belo chamado, o mínimo que podemos ofertar é a nossa própria vida! E que a nossa vida gere frutos de conversão no coração daqueles que conhecerem Jesus através de nós.  Rogo a Jesus que guarde a cada dia nossas vocações, para que possamos seguir, fielmente, esse relacionamento de amizade com ele. Para nós, ser fiel a amizade com Jesus, é ser fiel ao carisma que ele nos deu para viver. E para que não deixemos nunca de tratar de amizade com Ele, deixemos que suas palavras ecoem em nossos corações. “Isto vos mando: Que vos ameis uns aos outros” (Jo 15, 17).

       Agradeçamos a Jesus, Aleluia, o nosso amigo, Aleluia!

 

Kelly Emerick

Fundadora da Comunidade Amigos de Jesus

Please reload

                  ARTIGOS                 

Matrimônio, Fruto da História da Salvação (Parte III)

May 6, 2019

1/4
Please reload

Please reload