Como encontrar o sentido da própria vida?

December 21, 2018

       Neste mês, as famílias da Comunidade Amigos de Jesus tiveram a oportunidade de estarem, durante uma manhã de domingo, com crianças que vivem em um abrigo. Levamos nossas crianças, nossa alegria, brincadeiras, músicas, lanches, sorvete e brinquedos para elas.

       Posso testemunhar que ganhamos muito mais do que pudemos levar. Fizemos a experiência de nos desinstalarmos, saímos de nossa “zona de conforto” e fomos de encontro àquelas crianças, mas na verdade, nos encontramos com nossa verdade interior. Digo isso, porquê acredito que uma experiência como essa, fez com que cada um, tivesse a chance de tirar um ensinamento. Em que sentido estamos caminhando? O que estamos fazendo de nossas vidas e de que forma podemos “morrer” para que o outro viva, a exemplo de Cristo que deu sua vida por nós?

       Quantas histórias tristes fizeram com que aquelas crianças chegassem até aquele abrigo! Não tenho a pretensão de encontrar culpados, de julgar o sistema, de tentar encontrar uma solução. Isso tudo não está ao meu alcance e pouco ajudaria aquelas crianças. O que reflito é: onde faltou amor, eu levei o Amor? E assim, convido a você a olhar a sua volta e pensar: onde falta amor? Como posso levar o verdadeiro amor, que não espera nada em troca?

       O exemplo aqui é de crianças de um abrigo, e talvez você se julgue incapaz de estar diante de uma realidade como essa. Temos, porém, muitas realidades a nossa volta “gritando” por um olhar amoroso. Talvez, o estado depressivo em que muitos vivem atualmente, possa ser fruto de uma vida vazia, sem sentido, de quem poderia tirar mais o olhar de si mesmo e ir de encontro ao outro. Ao mesmo tempo, porém, não podemos julgá-los, pois, talvez, não estejam encontrando nosso apoio e doação de nossas vidas para que saiam do vazio e da depressão.

       Agradeço a Deus por esse presente de Natal, que me desinstalou, me tirou do meu conforto, da minha estabilidade, para crescer com aquelas pequenas crianças, que não imaginam o quanto suas vidas e suas histórias puderam me falar ao coração. Sigo, então, recomeçando sempre, em busca de continuar dando sentido à minha curta vida. Não existe uma receita para que possamos encontrar o sentido da própria vida, mas, posso testemunhar que o início dessa busca já é o caminho. Deus tem um plano para cada um de nós e nunca nos deixa sem a direção certa.

       Há alguns anos, eu entendi que o sentido da minha vida é Cristo. Na busca de fazer com que outras pessoas, também, encontrem Nele o verdadeiro sentido de suas vidas, continuo perguntando a Cristo, diariamente, como viver aqui na terra de forma que isso se torne uma realidade; E quero responder, e encontrar as respostas, com a vida, nas pequenas ou nas grandes oportunidades que Deus me der.

       Desejo um Natal e uma história de vida cheia de sentido para você e sua família!

 

Luciana Bitencourt

Celibatária da Comunidade Amigos de Jesus

Please reload

                  ARTIGOS                 

Matrimônio, Fruto da História da Salvação (Parte III)

May 6, 2019

1/4
Please reload

Please reload