Família Martin, exemplo e modelo para as famílias modernas (Parte VIII)

April 10, 2019

FAMÍLIA MARTIN:

A alma do lar

 

 

       A missa diária era a primeira atividade do dia do casal, sendo uma necessidade vital e não uma árdua rotina. Além da Eucaristia, tinham um respeito a cada um dos sacramentos, batizando os filhos assim que nasciam. Participavam das festas litúrgicas, procissões, retiros, missões populares, aos domingos toda a família ia à missa, às vésperas e às vezes ao ofício da noite. Cumpriram assim, o que foi reafirmado no Concílio Vaticano II:

 

       [...]uma finalidade importante da oração da Igreja doméstica é a de constituir, para os filhos, a introdução natural à oração litúrgica própria da Igreja inteira, no sentido quer de uma preparação para ela, quer de a alargar ao âmbito da vida pessoal, familiar e social. Daqui a necessidade de uma participação progressiva de todos os membros da família cristã na Eucaristia, sobretudo na dominical e festiva, e nos outros sacramentos, em particular nos da iniciação cristã dos filhos. As diretivas conciliares abriram uma nova possibilidade à família cristã, que foi incluída entre os grupos aos quais se recomenda a celebração comunitária do Ofício divino. Assim também está ao cuidado da família cristã celebrar, mesmo em casa e de forma adaptada aos seus membros, os tempos e as festividades do ano litúrgico.[1]

 

        Luís e Zélia eram católicos que tinha a vida de oração, não limitando apenas aos domingos, mas, quando e onde estivessem transmitiam sua fé, com o testemunho de vida, caridade e palavras retas. Em casa, a família se reunia todas as noites, ao redor da imagem de Nossa Senhora, para rezar. O casal e suas filhas, traziam consigo o escapulário, com a finalidade de mantê-los protegidos sob o manto da Virgem Santíssima.

       Com tamanha fé, Luís e Zélia transmitiram sem esforço ou imposição para as filhas, o desejo de uma vida santa e entregue a Deus, pois, era a essência deles. A vida paroquial e as suas festas eram as festas vividas e esperadas pela família todos os anos. O lar foi a primeira escola da vida cristã das filhas, sendo os pais seus professores exemplares, cumpriram assim o que São João Paulo II afirma:

 

       “Pela força do ministério da educação os pais, mediante o testemunho de vida, são os primeiros arautos do Evangelho junto dos filhos. Ainda mais: rezando com os filhos, dedicando-se com eles à leitura da Palavra de Deus e inserindo-os no íntimo do Corpo - eucarístico e eclesial - de Cristo mediante a iniciação cristã, tornam-se plenamente pais, progenitores não só da vida carnal, mas, também daquela que, mediante a renovação do Espírito, brota da Cruz e da ressurreição de Cristo.”[2]

 

       Todos os pais são chamados a se assemelharem a Cristo, buscando uma vida com ele. Contudo, os filhos buscam se aproximar e a se identificar com os seus pais. As figuras paterna e materna são a expressão do amor de Deus na vida das crianças. Por isso, a vida de oração dos pais torna-se modelo para os filhos e se apresenta como exemplo a ser repetido de forma natural e espontâneo. Cria-se assim, nos filhos, um novo caminho de conhecimento e experiência de Deus:

 

       Precedidos assim pelo exemplo e oração familiar dos pais, tanto os filhos como todos os que vivem no círculo familiar encontrarão, mais facilmente, o caminho da existência humana, da salvação e da santidade. Quanto aos esposos, revestidos com a dignidade e o encargo da paternidade e maternidade, cumprirão diligentemente o seu dever de educação, sobretudo religiosa, que a eles cabe em primeiro lugar.[3]

 

Priscila Tuany Silva Graciano

Com. Amigos de Jesus

 

<< PARTE VII   |   PARTE IX >>

 

 

 

 

[1] Cfr. Const. sobre a sagrada Liturgia Sacrosanctum Concilium, 12.

 

[2] Exortação apostólica Familiaris consortio (Sobre a missão da Família Cristã no mundo de hoje). São Paulo: Loyola, 1982.

 

[3] Paulo VI. Gaudium et Spes. Constituição Pastoral sobre a Igreja no mundo atual (07.12.1965). São Paulo: Paulinas, 1974.

Please reload

                  ARTIGOS                 

Matrimônio, Fruto da História da Salvação (Parte III)

May 6, 2019

1/4
Please reload

Please reload