Para que nós fomos criados?

É muito natural que, quando a maioria das pessoas pense em vocação, logo venha à mente as vocações religiosas: padre, freiras, missionários. Caso o nosso pensamento se aprofunde um pouco mais, começamos a pensar na vocação matrimonial e na vocação dos leigos. Este mês é dedicado às vocações e é propício a essas reflexões. Muitas vezes, porém, entra ano e sai ano, e continuamos a ter uma ideia limitada a respeito de vocação.

Todos nós, sem exceção, somos pessoas vocacionadas. Sabemos disso, mas, na maioria das vezes não vivemos de acordo com essa verdade. Muitas vezes já ouvimos falar que a vocação primeira a que todos nós somos chamados é a santidade. Na prática, porém, essa é uma realidade distante da vida das pessoas. Falta o hábito de refletirmos sobre esse chamado de Deus e falta, mais ainda, uma disposição do coração a nos tornarmos uma pessoa santa.

Penso que é importante refletirmos que fomos criados por Deus envoltos de muito amor. Como Deus ama a cada ser humano! Ele nos ama muito! Ele nos criou, nos amando e deseja que um dia estejamos com Ele, desfrutando da verdadeira alegria no céu. Fomos criados para amar e nos doarmos a Deus. Dentro de nós existe um vazio que somente Ele é capaz de preencher. Sendo assim, Deus enviou seu Filho Jesus Cristo, como homem a esta terra, para nos ensinar o caminho a ser trilhado para chegarmos ao nosso objetivo final: viver plenamente com Ele no céu.


O tempo que temos nesta terra, é uma preparação, é um tempo curto de preparação para ganharmos, depois, uma vida eterna repleta de paz e verdadeira felicidade. Se uma pessoa vive um tempo muito longo nesta terra, por exemplo, 100 anos, mesmo assim, é um tempo curto se for comparado com a eternidade. Um tempo que não acaba mais, que é eterno, é muito longo, por isso, devemos desejar que essa eternidade seja com Deus e feliz. Por isso, devemos investir nosso tempo aqui na terra, para aprendermos a amar Deus como Ele merece ser amado.

Deus nos amou tanto, nos deu o dom da vida, cuida de nós, mesmo que nem nos lembremos dele, prepara um lugar incrível para nós na eternidade e nos espera. E ainda mais, mandou seu Filho para nos salvar e, por meio Dele, já temos o céu como garantia. Só não iremos para lá, se por nossa culpa, não trilharmos os caminhos de Jesus. Ele nos ensinou o caminho certo e ainda enviou seu Espírito para nos ajudar, pois, conhece nossas limitações e fraquezas.

Gostaria de enfatizar que uma vida de santidade é para ser vivida por pessoas normais como eu e você. Os grandes santos da história da Igreja foram pessoas criadas por Deus assim como nós fomos. Se eles conseguiram viver uma vida que os levaram à glória do céu, nós também podemos conseguir. Podemos nos lembrar, também, de pessoas que conviveram ou convivem conosco que, buscando a santidade, nos dão um grande exemplo de como viver uma vida cheia de virtudes.

Seja qual for seu chamado específico, religioso ou leigo, convido a você que está lendo este artigo, a pedir a Deus, diariamente, para aprender amá-Lo mais. Amando mais a Deus, iremos desejar agradá-Lo em tudo, e desejaremos viver com Ele no céu e assim nossa vida vai se configurando pouco a pouco à vida de Cristo. Peça, todos os dias, em oração: Senhor, eu quero sentir esse amor com que fui amado desde o princípio de minha existência. Sentindo-me amado, quero retribuir com meu amor por Ti. Ensina-me a Te amar.

Pedimos a intercessão da Virgem Maria a nos ajudar a viver uma vida rumo ao céu. Ela é nossa mãe e não nos desampara diante das dificuldades. “Oh Maria, concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós”!


Luciana Bitencourt

Celibatária da Comunidade Amigos de Jesus

                  ARTIGOS