O que esperar de 2021 e do resto de nossas vidas? Apenas o “Novo Normal”?

“Jesus é o mesmo ontem, hoje e eternamente. (Hb 13, 8)”


Nós fazemos parte de uma História de Salvação, sonhada por Deus, e gravada no coração Dele desde sempre, desde toda a eternidade! Precisamos conhecer essa história, a nossa essência, de onde viemos, porquê viemos e para onde vamos. Precisamos, a partir desse conhecimento, refletir sobre nossas ações e reações diante de fatos ditos “novos”.

Existem pessoas que lidam com situações adversas de forma mais tranquila, se adaptam a mudanças mais facilmente. Outras, podem até se adaptar por força das circunstâncias, mas, sentem-se muito abaladas psicologicamente. Esteja você na situação de um ou de outro tipo de pessoa, é necessário estar atento se Deus tem sido o Senhor da sua vida, e do seu comportamento, diante das mudanças bruscas que o mundo está sofrendo.

Adaptar-se a tudo, moldar-se tão facilmente a tantas imposições pode levar você a viver o “novo normal” muito longe da vontade de Deus. É preciso pedir ao Espírito Santo que lhe dê a inteligência e a sabedoria necessárias para agir e decidir frente às mudanças. Não se deixar enganar é urgente, para não colhermos frutos amargos no futuro, e um futuro muito mais próximo do que podemos imaginar. Essa mesma luz do Espírito Santo há de iluminar aqueles que se desesperam, que têm muitos medos e se deixam abalar e desestruturar diante das tempestades da vida.

Existe um “meio termo”, que devemos encontrar em Deus, que nos fará enfrentar “o novo normal” com equilíbrio e paz, confiando em Deus e esperando Nele. A justa medida deve nos levar à conversão, a um encontro pessoal com a verdade que é Cristo.

Posso testemunhar que o ano de 2020 me fez ter diante dos olhos, mais fixamente, qual é o sentido da minha vida e a brevidade que ela possui. Procurei, quase que diariamente, lembrar-me que eu fui criada por Deus, para amá-Lo e para que este amor transborde às pessoas que estão à minha volta. Nos momentos de oração, experimentava a graça de recordar que vim de Deus e para Ele voltarei, e que tudo mais há de passar nesta terra. Desta maneira, a minha forma de lidar com a vida foi se modificando para melhor. Se minha meta é amar, ser santa e chegar ao céu, todas as decisões da minha vida serão pautadas nessa meta, nessa verdade.

Entendi e concluí, então, que esse tal de “novo normal” não tem nada de novo, nem de normal. Não há novidade em enfrentar crises, mudanças, sofrimentos, etc. Além disso, em Cristo, tudo já foi revelado. Se nós ainda não entendemos o que Cristo veio revelar com sua encarnação, morte e ressurreição, devemos mais do que depressa buscar conhecer as verdades da nossa fé, estudar, ler, conhecer, por exemplo, a vida dos santos, os documentos de 2 mil anos de história da Igreja e, essencialmente, a Palavra de Deus. Devemos conhecer o que já era desde sempre, pois, essas “novidades” vêm para nos tirar a paz e a verdade. Não podemos nos deixar iludir!

Não importa a maneira como o mundo se encontra. Só viveremos na normalidade se soubermos quem somos e, assim, enfrentarmos qualquer cruz, tempestade, pandemia, luto, ou dor, com a esperança de, um dia, estarmos felizes e em paz, no céu com Cristo, face a face com “Aquele que era, que é e sempre será” (cf. Ap. 11,17).

A partir deste ano, então, ou a qualquer tempo da história, se Cristo for o centro de nossas vidas, tudo pode mudar, mas, tudo permanecerá estável. Talvez o que precise ser “novo” e verdadeiramente “normal” são os corações que ainda não acordaram que já é tempo de viver com Cristo, conhecê-Lo e amá-Lo. Não há mais tempo de viver sem Ele, Nele e por Ele. Busque o Senhor, enquanto Ele ainda se deixa encontrar (cf. Is. 55, 6).


Luciana Bitencourt

Celibatária da Comunidade Amigos de Jesus

                  ARTIGOS